João Pessoa e suas histórias: Cabedelo

Sérgio Botêlho – João Pessoa e Cabedelo são parceiras históricas na consolidação da Paraíba como ponto efetivamente existente do mapa mundial; e até dividem uma data marcante, no caso a de 4 de novembro de 1585

Se ainda hoje persiste um debate sobre a fundação de João Pessoa ter sido em 5 de agosto ou 4 de novembro de 1585, é porque ambas são datas importantíssimas para a criação da Cidade Real de Nossa Senhora das Neves.

Na primeira, 5 de agosto, os fundadores conferiram batistério e certidão de nascimento à cidade, após acerto de paz com os índios. Na segunda, 4 de novembro, iniciaram para valer a construção de equipamentos urbanos e consequentes assentamentos humanos.

Pois bem. A segunda data, a de 4 de novembro, é também considerada a de fundação da atual cidade de Cabedelo, quando ali começou a ser construído um forte para a defesa do estuário do Paraíba-Sanhauá. 

Na continuidade, vários construtores da fortaleza decidiram continuar vivendo por lá mesmo, dando início a um núcleo urbano. Assim, estava para sempre marcada física e humanamente a atual cidade de Cabedelo.

Quando falamos do estuário estamos nos reportando à única entrada que dava acesso à Cidade Real de Nossa Senhora das Neves, depois Filipéia, Frederica, Paraíba e, finalmente, João Pessoa, por mais de 300 anos.

Ao construir o forte e dar início à existência de Cabedelo, os fundadores da Paraíba equiparam a cidade à condição de primeira linha de defesa do núcleo urbano que viria a se tornar a capital do Estado da Paraíba.

Portanto, irmãs em datas históricas e parceiras singulares logo na largada, Cabedelo e João Pessoa, que também por mais de 300 anos foram um único município, se constituem no marco zero do Estado da Paraíba.

Hoje, dividindo o mesmo espaço citadino, João Pessoa e Cabedelo formam um único núcleo urbano já que são caracterizadas como cidades conurbadas, com um porto que serve a todo o estado da Paraíba: o Porto de Cabedelo.

Na orla marítima, as praias de Ponta de Matos, Formosa, Camboinha, Poço, Ponta de Campina e Intermares, em Cabedelo, dividem com Bessa, Manaíra, Tambaú e Cabo Branco, em João Pessoa, uma orla única em termos urbanos.

A gastronomia é outro ponto em que João Pessoa e Cabedelo combinam restaurantes e bares a formarem um roteiro de cheiros e sabores espetaculares, com destaque para os frutos do mar.

Da mesma forma, na condição de maior renda per capita da Paraíba, Cabedelo reúne com João Pessoa mais de 1//3 do PIB paraibano, dando a ambas força econômica destacada no estado.

Enfim, com as praias, o porto e a gastronomia já citadas, afora o comércio de artesanato e a Praia do Jacaré, Cabedelo e a capital paraibana se garantem como o principal pólo turístico da Paraíba.

Dessa maneira, a atual conurbação João Pessoa-Cabedelo mantém, ao longo do tempo, a representatividade inicial de suas origens comuns, sob a proteção de igrejas mais que seculares e de grande significado para a história da Paraíba.

You may also like

Comente