João Pessoa: fundação em 5 de agosto ou 4 de novembro?

5 de agosto é consagrado pela história como data de fundação da atual João Pessoa e da Paraíba; mas há controvérsia

Como se sabe, depois de várias tentativas de conquistar a Capitania da Paraíba, não consumadas por conta de forte resistência potiguara, um lance fora da alçada dos portugueses acabou resolvendo o dilema. 

De última hora, os Tabajaras e os Potiguaras, que andavam unidos, brigaram. Então, o desaguisado entre os índios acabou favorecendo diretamente os portugueses.

O favorecimento veio na forma do reatamento de laços de amizade entre Tabajaras e colonizadores, o que provocou a derrota dos Potiguaras, a formulação da paz e a criação solene, em 5 de agosto de 1585, da Cidade Real de Nossa Senhora das Neves, a atual João Pessoa.

O senão sobre a data é que, acertada a paz e determinado o nome do santo do dia no topônimo da terceira cidade brasileira, foram todos para casa, como se diz, ficando a natureza local como Deus a fez, praticamente.

Leia também: João Pessoa: por que já se chamou Filipéia?

Daí, somente em 4 de novembro os portugueses voltaram ao sítio, em expedição agora composta de pedreiros, carpinteiros, engenheiros e outras gentes da lida pesada para começar efetivamente a construção da cidade.

Frente aos fatos, há quem reclame o 4 de novembro como data a ser considerada como a de fundação da atual João Pessoa, e não o 5 de agosto, quando nenhuma obra foi edificada para marcar a nova urbe, alegam os defensores do 4 de novembro.

Difícil – nestes longínquos mais de 440 anos – é mudar a história, que já consagrou o 5 de agosto. Afinal, foi nessa data que a nova cidade recebeu seu primeiro nome, consagrado ao santo do dia, Nossa Senhora das Neves, indicando que os fundadores assim quiseram determinar, sob a simbologia dos costumes cristãos, tão fortes na época, o efetivo nascimento da atual capital paraibana, e da própria Paraíba. Não é fácil, mesmo!

You may also like

Comente