Pró-Brasil é apenas estudo, diz Guedes, prestigiado por Bolsonaro

Prestigiado por Bolsonaro, Guedes diz que Pró-Brasil é apenas um estudo. Esse é um dos destaques da grande mídia, nesta terça-feira, 28 de abril de 2020

Prestigiado por Bolsonaro, Guedes diz que Pró-Brasil é apenas um estudo. Esse é um dos destaques da grande mídia, nesta terça-feira, 28 de abril de 2020, na seção DESTAQUES DA MÍDIA NA ECONOMIA, do Para Onde Ir.🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

““Bolsonaro afaga Guedes, mas mercado reage com cautela. Presidente atuou pessoalmente para prestigiar o ministro da Economia, Paulo Guedes, e afastar os rumores de que o auxiliar estaria fragilizado. ” *Manchete de capa do Valor Econômico*.” 

📃 Destaques:

O GLOBO

“‘O homem que decide economia é o Paulo Guedes’. ‘O homem que decide economia no Brasil é um só, chama-se Paulo Guedes’, diz Bolsonaro”.

“Ministro diz que programa Pró-Brasil é apenas um ‘estudo’. Projeto deve ser adaptado para caber no Orçamento e não aumentar gastos”.

“Bolsa sobe 3,86% após presidente manifestar apoio a Guedes. BC faz intervenções no mercado, e dólar fecha praticamente estável”. 

“Míriam Leitão: Sinal na hora certa para Guedes”.

“Senado e governo propõem congelar salário de servidor. Medida faz parte do projeto de socorro a estados e municípios que será votado na Casa e deve gerar economia de R$ 130 bi. Para Guedes, funcionalismo não pode atravessar a crise de ‘geladeira cheia’ enquanto milhões de brasileiros perdem o emprego”.

“Saque de R$ 600 para informais tem filas e aglomerações. Trabalhador tem até 2 horas para retirar o dinheiro após o aplicativo do banco gerar código. Pagamentos vão até dia 5”. 

“Bolsonaro diz que não há previsão de ampliar auxílio. Segundo presidente, pagamento do benefício deve permanecer em três meses, e novas categorias não seriam incluídas”.

“Governo facilita o acesso a crédito em bancos públicos. MP reduz lista de documentos exigidos para empresas e pessoas físicasf”.

“Embraer abre ação contra Boeing por fim de parceria. Fabricante de aviões brasileira iniciou arbitragem para ser ressarcida em R$ 485 milhões. Ações caíram 7,49% na Bolsa de SP”.

“Ministério da Justiça investiga uso de dados pelo app Zoom. Plataforma diz ter eliminado compartilhamento de dados com Facebook”. 

ESTADÃO

“Redução salarial deve flexibilizar consignado. Medida deve vir em forma de projeto de lei e reduziria parcela na proporção da redução”. 

“FIAT QUER ‘DECIFRAR’ O PÓS-COVID-19. Empresa recorreu a antropólogos para tentar prever como será o consumidor brasileiro pós-coronavírus. A Fiat leva em conta cenários de que haverá um “novo normal”, após a pandemia, com mudanças de comportamento das pessoas e da sociedade.”. 

“Pedro Fernando Nery: A MP do Trabalho Verde e Amarelo acabou associada às cores do bolsonarismo e foi prejudicada pela polarização”.

“Varejo de SP deve perder vendas de Dia das Mães”.

“Bernardo Appy: Estrutural e conjuntural. O necessário aumento da atuação do governo durante a crise do coronavírus tem dado margem a diversas propostas de aumento da receita pública, voltadas a financiar o déficit resultante da elevação das despesas e da queda da arrecadação. Mas tais medidas deveriam ser temporárias e claramente separadas das mudanças estruturais necessárias para tornar o sistema tributário brasileiro mais justo e eficiente.”.

“Ana Carla Abrão: Crédito e contaminação. No mundo todo a crise do covid-19 está impondo desafios que vão além dos impactos na saúde e dos efeitos das medidas de isolamento sobre a economia real. O mercado de crédito e o setor financeiro têm também enfrentado uma enorme mudança, e não será diferente pelos próximos anos, dadas as alterações no comportamento do consumidor bancário e as perspectivas econômicas à frente. Crédito e PIB andam juntos.”. 

“‘Atacarejo é resistente em cenário de crise’. Mesmo com pandemia, meta de crescimento para este ano está mantida, diz presidente da rede atacadista Assaí”. 

FOLHA

““Governo congela programa de obras da ala militar para evitar crise com Guedes. Bolsonaro diz que só o ministro decide sobre economia, após mercado especular sobre sua saída”.

“MP do governo libera crédito público a empresas devedoras da União. Medida criada pelo Ministério da Economia facilita financiamento público a empresas com dívidas fiscais e do FGTS ”.

“Tribunais cortam custos, mas mantêm penduricalhos”.

“Ideológicos e militares fazem ofensiva contra negociações da Embraer com China. Ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo deve se reunir com diretor da empresa para se opor a eventual acordo”. 

“Shoppings fazem drive-thru para vender presentes para Dia das Mães. Produtos são escolhidos online e retirados nos estabelecimentos”.

“Membros do Ministério da Infraestrutura esperam que Bolsonaro não interfira em perfil técnico. Empresa vinculada à pasta troca de comando. Dança… A exoneração de Andre Kuhn da direção do Dnit nesta segunda (27) era a peça que faltava para definir o destino da Valec, para onde ele foi transferido. A mexida na chefia da estatal de ferrovias já era esperada pelo mercado, conforme o Painel S.A. informou em fevereiro.”.

“500 mil clientes do Nubank se cadastraram para auxílio de R$ 600. Segundo empresa, cerca de 210 mil pessoas receberam a ajuda”.

“Obras de turismo recuaram 24% em 2020, diz pesquisa. Construções imobiliárias residenciais cresceram 14% no mesmo período”. 

“Febraban diz que cinco maiores bancos emprestaram 22% a mais desde início da pandemia. Entidade não detalhe tipo de crédito liberado e não há dados anteriores para comparação”. 

“Socorro a estados terá salário de servidor congelado por 18 meses e economia de R$ 130 bi. Valor de ajuda a entes federados ainda leva a impasse entre governo e senadores”.

“Argentina proíbe voos até setembro; entidade da área de aviação pede revisão da medida. Decreto estendeu quarentena obrigatória nacional até 10 de maio”.

VALOR ECONÔMICO

“Crise derruba redes varejistas americanas. Empresas tradicionais do varejo, como J.C. Penney e Neiman Marcus Group, devem entrar em breve com pedido de falência”.

“Embraer tem plano para poupar o caixa. Fabricante de aviões negocia com bancos para levantar cerca de US$ 1 bilhão”.

“As regras na pandemia. Executivo-chefe da Danone vai manter todos os contratos dos funcionários até 30 de junho e um fundo de € 250 milhões de ajuda a fornecedores”. 

“Óleo cai mais 24,7% e barril vai a US$ 12,78. Baixas recentes mostram como as transações especulativas são capazes de desestruturar o mercado de petróleo, cada vez mais frágil em razão da queda de demanda”. 

“Para Uip, não há opção diferente do isolamento. Médico refuta a ideia de que o perfil da doença no Brasil é diferente do descrito no resto do mundo”.

“Dependência de peça importada barra produção de respiradores. Problema central é a falta de componentes essenciais usados na produção, principalmente sensores e válvulas”.

“Investidor de fundos foi racional na crise. Houve saída de cotistas, mas não foi uma sangria”.

“Pró-Brasil analisa conclusão de 3 mil creches com obras paralisadas no país. Medida depende de mudanças na legislação”. 

“Um Plano ‘Marshall’ que divide opiniões. Programa Pró-Brasil aprofunda debate sobre uso de recursos públicos para investimento em infraestrutura”.

“Queda de arrecadação de Estados ameaça pagamento de servidores. Problema deve ser mais agudo em Minas Gerais, Rio e RS”.

“Sem auxílio da União, Rio pode ter crise em junho. Estado enfrenta queda de 20% na receita de abril”.

“Banco de desenvolvimento de MG acelera desembolsos. BDMG trabalha com a expectativa de fechar o ano com R$ 2 bilhões de desembolsos de crédito ante R$ 1,3 bilhão de 2019”. 

“Expectativa para o PIB se mantém em queda e chega a -3,34% no Focus. Revisão para baixo do crescimento da economia do país ocorre pela 11ª semana consecutiva”. 

“Consumidor e comércio têm queda recorde de confiança. Tendência é que declínio persista em maio, apontam especialistas da FGV”.

“Impulso fiscal deve ser recorde em 2020. Nas estimativas do Itaú, impulso fiscal à demanda agregada a ser observado este ano será recorde da série histórica do banco, que começa em 1998”.

“Montadoras temem fim unilateral de acordo automotivo com a Argentina. Oficialmente, setor não se considera afetado pela decisão do país de deixar negociações no âmbito do Mercosul”.

“Buenos Aires abre caminho para Mercosul fragmentado. Ausência da Argentina nas discussões deve facilitar reduções relevantes de tarifas, diz negociador brasileiro”. 

“Futebol pode voltar em breve com portões fechados, diz Carlos Da Costa. ‘Povo está em casa e quer assistir seu jogo’, segundo secretário”. 

“Com reabertura, Europa tenta salvar temporada de turismo de verão. Queda no setor de turismo da Espanha, que responde por 12% do PIB e 13% dos empregos no país, acende alerta para economias do sul da Europa, que são mais dependentes do turismo”.

“Deflação é agora um risco maior que a hiperinflação. Apesar de os BC estarem inundando os mercados com dinheiro e de a oferta de bens ter caído, combinação que costuma gerar inflação, a queda na demanda tem sido maior na maioria dos setores, o que pressiona os preços para baixo”.

 CORREIO BRAZILIENSE

“Governo e Senado defendem congelamento de salários de servidores”.

“Jogada ensaiada. Em discurso combinado com os ministérios da Economia e da Saúde, Bolsonaro diz ter sido procurado por autoridades da bola e defende retorno do futebol. CBF nega pressão”.

“Sem dinheiro. Multidão faz fila para receber segunda parcela dos R$600, mas pagamento é adiado”. 

“Sem data para 2ª parcela. O governo federal ainda não sabe quando vai começar a pagar a segunda parcela do benefício emergencial de R$ 600, que promete ajudar os brasileiros a enfrentar a crise do novo coronavírus.”. 

“MP tenta destravar crédito bancário. O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, disse ontem que a MP 958 foi desenhada para atender a uma demanda do setor produtivo, que tem reclamado da dificuldade de obter crédito durante a pandemia da Covid-19.”. 

“Bares, restaurantes e indústrias na mira. O secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec), Carlos Alexandre Da Costa, anunciou que o governo está preparando um “grande plano de retomada econômica para fazer com que o país volte a suas atividades de maneira planejada e cautelosa”. Além de apostar no futebol, ele citou atividades como bares, restaurantes e indústrias. Porém, ainda não informou data para começar.”.

“Mercado S/A. Na Europa, isolamento funciona e economia começa a voltar. A Volkswagen retomou ontem as atividades de sua fábrica na cidade de Wolfsburg, na Alemanha. ”.

📃 Editoriais do dia:

“Desmate sem trégua. Más notícias para o ambiente proliferam na pandemia, com contribuição do governo.” Editorial da Folha.

“Guedes vence batalha, mas haverá outras. Apoio de Bolsonaro revigora ministro, porém, proximidade do Planalto com o centrão é ameaça.” Editorial do O Globo.

“Em perigo, Bolsonaro prestigia Guedes. Presidente decidiu conter o desmoronamento de seu governo e prestigiar o ministro, seu fiador diante do mercado e trava contra um surto de pânico financeiro.” Editorial do Estadão.

“A Argentina e o Mercosul. Temporariamente, pelo menos, não há risco de Buenos Aires rejeitar o acordo com a UE.” Editorial do Estadão.

Gerenciar dívida mobiliária exige cuidado redobrado. Tesouro tem colchão de proteção confortável, mas dívida pública subirá bastante”. Editorial do Valor Econômico.

“Sensatez necessária. …em entrevista coletiva, o presidente, ao lado dos auxiliares diretos, frisou que “o homem que decide a economia é um só. Chama-se Paulo Guedes. As sensatas palavras do presidente e do ministro Paulo Guedes reafirmam que os gastos públicos manterão o respeito ao teto de gastos para evitar o desregramento fiscal”. Editorial do Correio Braziliense.

📈 Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a segunda-feira, 27, em alta de 3,86%, a 78.239 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,05%, a R$ 5,66.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.