João Pessoa: harmonia e graça numa das igrejas mais antigas do país

Memórias Pessoenses
DICA DE LIVRO (Vendas também na Amazon e no Mercado Livre. Portanto, é só clicar nos links que vai direto ao Memórias Pessoenses)

Sérgio Botêlho – O cenário tem o efeito das paisagens corriqueiras da cidade de João Pessoa, na Paraíba, para os residentes na cidade. Por ali transitam, diariamente, centenas de pessoas em trajetos do dia a dia. Assim, alguns o fazem automaticamente, sem prestar muita atenção à passagem tão familiar. Contudo, a Igreja de São Francisco é um monumento arquitetônico singular e belo em forma e conteúdo.

“Harmonia, formosura, graciosidade, grandiosidade: qualidades que foram atribuídas, ao longo dos séculos, à construção de pedra e cal dos franciscanos na Paraíba. É certo que até hoje ela emociona quem chega aos pés do cruzeiro monumental, à entrada do adro”, diz a professora Carla Mary da Silva Oliveira, do Departamento de História da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, em seu trabalho acadêmico A ‘GLORIFICAÇÃO DOS SANTOS FRANCISCANOS’ DO CONVENTO DE SANTO ANTÔNIO DA PARAÍBA: ALGUMAS QUESTÕES SOBRE PINTURA, ALEGORIA BARROCA E PRODUÇÃO ARTÍSTICA NO PERÍODO COLONIAL*.

João Pessoa

Por sinal, convém salientar, a capital paraibana é a 3ª cidade mais antiga do país. Dessa forma, mesmo com a ação do tempo e a falta de sensibilidade cultural e preservacionista de governantes pretéritos, mantém igrejas, mosteiros e diversas construções antigas, emocionantes de se ver. Além de um casario no Centro Histórico de encantar qualquer sensibilidade mais aguçada pelas construções humanas.

|ACESSE OS SERVIÇOS OFERECIDOS PELO ‘PARA ONDE IR’, DÓLAR, VIAGENS AÉREAS, HISTÓRIA HOJE, BOLSA, ANIVERSÁRIOS MUNICIPAIS, E APROVEITE PARA ASSINAR O BLOG POR E-MAIL|

A Igreja de São Francisco, que já foi de Santo Antônio, com um imenso pátio a servir de introito à construção, faz parte de um conjunto de edificações, que, no seu todo, resultou de intervenções estruturais e artísticas empreendidas desde o início de sua construção, no final do Século XVI até o ano de 1779, data inscrita em seu frontispício. A Igreja impressiona à primeira vista.

O pátio da entrada (o adro) merece, desde logo, a atenção dos visitantes. Assim, porque nos seus altos muros laterais há nichos enormes com cenas da Paixão de Cristo. Esses cenas são desenhadas em azulejos e constituem uma Via Sacra das mais belas em igrejas antigas e modernas, no país.

O Cruzeiro

À frente da construção, o Cruzeiro de São Francisco, magnífico e misterioso. O mistério provém de imaginativas lendas sobre o seu escondido interior, da parte das pessoas comuns de várias épocas.

O conjunto arquitetônico onde se encontra o Cruzeiro, o adro (com as estações da Paixão de Cristo), e mais a Igreja e o convento da Ordem Franciscana compõem, segundo os estudiosos de várias partes do país, o maior monumento em estilo barroco do Brasil.

Portanto, uma visita imprescindível a quem chega a João Pessoa. E, mais que isso, renovada razão para os que não conhecem a capital paraibana tratar urgentemente de suprir a lacuna em suas experiências vividas.

(Sérgio Botêlho)

ENVIAR MENSAGEM

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.