Hoje na história mundial: escritor francês é preso; nasce grande músico

Hoje na história mundial. Em 23 de fevereiro de 1898, o escritor francês Émile Zola foi preso para interrogatório. Zola, então perto de completar 58 anos, escrevera em defesa de Alfred Dreyfus. 4 anos depois, ele morria sem ter visto a reabilitação de Dreyfus.

Mas, o que foi o caso Dreyfus? Alfred Dreyfus, oficial de origem judia no Exército da França, foi acusado, injustamente de traição. Dessa forma, era vítima de um estratagema arrumado pela extrema-direita francesa para desmoralizar os judeus.

Em seu livro, J’accuse (Eu Acuso), Zola não apenas defende a inocência de Dreyfus, como ataca duramente o antissemitismo do Exército francês. A veemente, e verdadeira, defesa de Dreyfus valeu ao escritor o exílio na Inglaterra, após condenado à prisão, em seu país.

Isso aconteceu no final do século XIX para início do século XX. Na sequência não apenas na França, mas em vários países europeus, o antissemitismo continuou. Ao final, deu no que deu, ou seja, na instalação do nazismo na Alemanha e no assassinato de milhões de judeus.

Mais sobre o caso Dreyfus: https://super.abril.com.br/historia/caso-dreyfus-a-fraude-que-revoltou-a-franca/

Mais sobre Émile Zola: https://www.ebiografia.com/emile_zola/

Haendel

Também em 23 de fevereiro do ano de 1685, nasceu George Frederic Haendel, Halle an der Saale, na Alemanha. No entanto, depois de anos de sucesso na Corte Real inglesa, tornou-se cidadão inglês. A saber, em 1726, quando exercia a função de compositor oficial da Corte daquele país.

Contudo, chegou a experimentar, depois de tudo isso, uma sequência de insucessos. Embora tenha prosseguido na arte de fazer música. Mas, nesse período de infortúnio artístico, acumulou muitas dívidas, sem, no entanto, afasta-lo da criação musical.

É autor de inúmeras óperas, e sua obra geral é, em grande parte, de inspiração sacra. Sua obra mais famosa é O Messias, sobre a vinda de Jesus. Em O Messias destaca-se o coro Aleluia, que se transformou na criação mais popular de Haendel, até hoje.

As óperas de Haendel são:

Agrippina (1709). Rinaldo (1711). Ottone e Teofano (1723). Tamerlano (1724). Giulio Cesare (1724). Rodelinda (1725). Orlando (1732). Ezio (1733). Ariodante (1735). Alcina (1735). Berenice (1737).

Mais sobre Haendel no endereço: https://www.ebiografia.com/george_friederich_handel/

Mais sobre história, hoje: https://paraondeir.blog/historia-hoje/

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.