Saramago fez história em 10 de dezembro de 1998

Sérgio Botêlho

José Saramago, escritor português, fez história em 10 de dezembro de 1998. Isso, porque, pela primeira vez na história do prêmio, um escritor de língua portuguesa recebeu o Nobel da Literatura.

Responsável pelo prêmio foi o livro Ensaio sobre a Cegueira, lançado em 1995. Sobre a obra, comentou Saramago: “’Este é um livro francamente terrível com o qual eu quero que o leitor sofra tanto como eu sofri ao escrevê-lo. Nele se descreve uma longa tortura. É um livro brutal e violento e é simultaneamente uma das experiências mais dolorosas da minha vida. São 300 páginas de constante aflição. Através da escrita, tentei dizer que não somos bons e que é preciso que tenhamos coragem para reconhecer isso.’

A conquista foi, então, festejada nos países que falam o português. Decerto, o primeiro caso é o da pátria mesma do escritor, Portugal. Mas, igualmente em Angola, Brasil, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Mas, também é falada em algumas comunidades que já foram povoamentos portugueses, ainda do Século XVI. São exemplos: Zanzibar (na Tanzânia), Macau (na China), Goa, Diu, Damão (na Índia) e Málaca (na Malásia).

Saramago

Segundo sua biografia oficial, José Saramago nasceu na aldeia de Azinhaga, província de Alentejo, em 16 de novembro de 1922. Filho de camponeses, sua vida, no entanto, a partir dos 2 anos, decorreu basicamente em Lisboa. Embora, com frequentes e demoradas permanências na aldeia natal.

Por dificuldades financeiras dos pais, não pode seguir normalmente os cursos secundários. Então, se viu empregado como serralheiro mecânico, o seu primeiro emprego. E, na sequência, desenhista, funcionário da saúde e da previdência social, tradutor, editor, jornalista.

Terra do Pecado

Porém, aos 25 anos, apresentou suas credenciais de escritor. A saber, quando lançou, em 1947, o seu primeiro livro, chamado Terra do Pecado. Entretanto, uma obra que nunca foi muito benquista por ele próprio. Embora, mais na frente, adotado pela crítica.

Daí passou a trabalhar permanentemente com as letras. Desse modo, foi diretor literário e de produção de uma editora. Outrossim, exerceu a crítica literária e fez parte da redação do jornal Diário de Lisboa, onde acabou coordenando o suplemento cultural.

Os Poemas Possíveis

Após o primeiro livro, em 1947, Saramago somente viria a publicar uma nova obra em 1966, já perto dos 44 anos. Como resultado, surgiu um livro construído a partir de sua verve poética, intitulado Os Poemas Possíveis.

Na linha da poesia, Saramago publicaria mais duas obras, na sequência da primeira: Provavelmente Alegria (1970), e a crônica Deste Mundo e do Outro (1971). Despois, veio o teatro.

Ficção

A ficção de Saramago começou com o romance “Manual de Pintura e Caligrafia” (1976). Publicou dois volumes de contos “Objeto Quase” (1978) e “Poética dos Cinco Sentidos” (1979). Como romancista o autor se consagrou ao receber o “Prêmio Cidade de Lisboa” com “Levantando do Chão” (1980), que se tornou Best-Seller internacional.

Com as obras, “Memorial do Convento” (1982), “O Ano da Morte de Ricardo Reis” (1984), (Prêmio do Pen Clube Português, o Prêmio da Crítica, o Prêmio Dom Diniz e o Prêmio do Jornal The Independente), “A Jangada de Pedra” (1988) e “História do Cerco de Lisboa” (1989), desenvolveu uma espécie de historicismo fantástico.

Política

Saramago foi membro do Partido Comunista Português, até sua morte, ocorrida em 18 de junho de 2010. Seu sepultamento aconteceu debaixo de homenagens somente prestadas a chefes de Estado, em Lisboa. E, ainda hoje, seu nome é reverenciado fortemente em Portugal e no mundo da língua de Camões.

Conjunto das obras

Terra do Pecado, 1947. Os Poemas Possíveis, 1966. Provavelmente Alegria, 1970. Deste Mundo e do Outro, 1971. A bagagem do Viajante, 1973. O Ano de 1993, 1975. Os Apontamentos, 1976. Manual de Pintura e Caligrafia, 1977. Objeto Quase, 1978. Poética dos Cinco Sentidos, 1979. A Noite (1979). Levantado do Chão (1980). Viagem a Portugal, (1981). Memorial do Convento, 1982. O Ano da Morte de Ricardo Reis, 1984. A Jangada de Pedra, 1986. A Segunda Vida de Francisco de Assis, 1987. História do Cerco de Lisboa, 1989. O Evangelho Segundo Jesus Cristo, 1991. A Caverna, 2000. O Homem Duplicado, 2002. As Pequenas Memórias, 2006. O Caderno, 2009. Caim, 2009.

Memória

O Nobel de Saramago passa, dessa forma, a fazer parte do conjunto de Memórias, do Para Onde Ir.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.