Areia-Paraíba: terra de muita história, cultura, frio, engenhos e cachaças

Situada na região do Brejo Paraibano, a cidade de Areia-Paraíba se constitui numa das principais referências turísticas do estado

Situada na região do Brejo Paraibano, a cidade de Areia-Paraíba se constitui numa das principais referências turísticas do estado, pois centraliza o espaço geográfico denominado Caminho dos Engenhos, que marca toda a região.

O ambiente físico nos conduz facilmente ao período do Brasil Colonial. Fundada em 18 de maio de 1846, a terra de Pedro Américo e José Américo é testemunha privilegiada da história da Paraíba.

O conjunto histórico e urbanístico de Areia foi tombado, em 2006. Para o tombamento, o Iphan baseou-se no valor histórico, urbanístico e paisagístico atribuído ao conjunto, pela ativa participação da cidade nas revoluções ocorridas no século XIX.

Também se destaca o valor da cidade como remanescente arquitetônico dos séculos XVIII e XIX e da paisagem natural que a circunda. Na área tombada, segundo os números do Instituto, existem cerca de 420 imóveis.

Sua bela paisagem natural é valorizada pelas ruas que acompanham a topografia acidentada do terreno, possibilitando vários pontos de observação nas encostas da serra. No Museu de Pedro Américo estão inúmeras réplicas dos quadros do mais célebre cidadão areiense – entre elas a famosa obra O Grito do Ipiranga, encomendada por Dom Pedro II, o que faz de Areia um destino privilegiado do turismo cultural. 

Terra da cultura

Considerada por muito tempo como “terra da cultura” e o seu Theatro Minerva foi inaugurado 50 anos antes que o de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba. A cidade recebia estudantes de todo o Nordeste, sendo expoentes da época a Escola de Agronomia do Nordeste, o Colégio Santa Rita das irmãs franciscanas, e o Colégio Estadual de Areia (antigo Ginásio Coelho Lisboa).

Levantamento feito pela Associação Paraibana dos Engenhos de Cachaça de Alambique (Aspeca), revela que a Paraíba possui cerca de 80 engenhos que produzem, por ano, um total de 12 milhões de litros de cachaça. Vários desses engenhos estão em funcionamento em cidades como Areia, na vizinha Alagoa Grande, Serraria e Bananeiras. Uma região de forte vocação para o turismo rural.

A Aspeca registra que 15 engenhos estão abertos à visitação pública.  Mas, o ideal é conhecer primeiramente o Museu da Rapadura, que está localizado no Centro de Ciências Agrárias da UFPB, em Areia.

You may also like

Comente