Amizade: dia de louvar uma condição particularmente vital ao ser humano

É tão importante a amizade na vida dos seres humanos que há várias datas que lhe são dedicadas. Uma delas, consagrada no Brasil e alguns outros países latino-americanos, é o 20 de julho. Portanto, hoje. Mas, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a data do amigo é 30 de julho. Enfim, há comemorações também em 04 de fevereiro e 18 de abril. Mas, combinemos, é coisa tão sagrada a amizade que deve ser comemorada todos os dias.

“Amigo é coisa pra se guardar debaixo de sete chaves”, diz o poeta Milton Nascimento, do alto de toda a sua sensibilidade de artista e grande ser humano que efetivamente é. Afinal, coberto de razão o grande mineiro está falando de algo sobre o qual sabe muito bem. O amigo, a amiga, o parceiro, a parceira, o cúmplice e a cúmplice dos bons e dos maus momentos da vida possui valor inestimável. E, por isso, deve ser guardado a sete chaves.

No plano universal, de toda a raça humana, esse é um dia para lembrar mais consistentemente da necessidade de um relacionamento mais fraterno entre os povos. Dia também para considerar a inexistência de diferenças de tipo supremacistas entre os seres humanos, independente de cor da pele ou de nacionalidade. Dia para festejar a enorme felicidade de sermos quem somos, nós humanos, iguais apesar dos diferentes gêneros.

Dimensão maior

Nesse sentido, o amigo passa a ter uma dimensão maior, mais ampla, alcançando todos os recantos da Terra. Certamente, considerar a importância de espalharmos o conceito de amizade a todos os seres humanos, nos permite alcançar a verdadeira ideia do que é o amigo. Ou seja: uma ideia fundamental para que percebamos mais claramente que quanto mais amigos considerarmos no plano universal, mais perto estaremos da paz que se almeja.

Portanto, vivamos o Dia do Amigo como um momento particularmente rico para sonhar com a paz universal. Um sonho tanto mais profundo e grandioso quanto a consciência que estamos adquirindo em meio a uma pandemia, como a que estamos atravessando. Uma pandemia que nos faz enxergar em cada ser humano, esteja onde estiver, um parceiro tanto na felicidade quanto na dor. É nosso amigo o mascarado asiático, o africano, o escandinavo, o indiano, todos, todos os seres humanos com o mesmo medo que nós temos da morte. Mas, também, felizmente, o mesmo amor pela vida.

Salve o Dia do Amigo!

(Sérgio Botêlho)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.