O que saber do Teatro Amazonas, datado de 31 de dezembro de 1896

Teatro Amazonas, em Manaus, inaugurado em 31 de dezembro de 1896, é um dos símbolos vivos do Ciclo da Borracha. Portanto, à moda de monumentos estreada pelo Teatro da Paz, em Belém do Pará, em 15 de fevereiro de 1878. Ambos, dessa maneira, glorificando fisicamente aquele momento internacional da economia amazônica.

Ciclo da borracha

O principal motor do ciclo tem origem na Revolução Industrial Inglesa, no século XVIII. Então, o novo modo de produção industrial se espalhou pelo mundo, no Século XIX. Dessa forma, cresceu a demanda internacional pela borracha, cuja matéria prima estava na Amazônia, abundantemente.

Já os índios se utilizavam do látex, líquido pegajoso extraído de uma árvore de nome seringueira. Com o látex fabricavam objetos moldáveis de uso diário. De tal forma que a utilidade do produto foi logo percebida como nova tecnologia importante, ao mundo.

Com isso, a Amazônia logo se viu objeto do interesse da economia internacional. Com especial atenção por parte da indústria automobilística. A junção dessas utilidades todas transformou Amazonas, Pará e Rondônia, principalmente, em polo da cobiça mundial e de muito dinheiro em circulação.

Teatro Amazonas

Foi, assim, em meio ao alvoroço provocado pela borracha e de bastante riqueza por toda a região, que foi construído o Teatro Amazonas. Desse modo, quase 20 anos depois de inaugurado o Teatro da Paz, em Belém. Todavia, seguindo o mesmo interesse pelo bom gosto.

A riqueza do material utilizado para construção desses dois monumentos à arte e à cultura realmente chama a atenção. A saber, tudo veio da Europa, com destaque para França, Escócia e Itália, em forma, inclusive, de obras de arte completas.

Artistas no palco

Pelo palco do Teatro Amazonas já passaram artistas internacionais de renome. São exemplos Mikhail Baryshnikov e Ana Laguna, além de Margot Fonteyn e o The Royal Ballet. Também o tenor José Carreras, Roger Waters, as bandas Spice Girls e The White Stripes.

Mas também, brasileiros da estirpe de Heitor Villa-Lobos, Milton Nascimento, Ana Botafogo e Bibi Ferreira. Tudo isso num espaço total para 701 pessoas, espalhadas entre cadeiras e três pavimentos de camarotes.

Enfim, o Teatro Amazonas é um orgulho não apenas do Amazonas, mas, ainda, de toda a Amazônia, e do Brasil, como um todo. Daí a homenagem que o Para Onde Ir presta a esse fantástico monumento da arte brasileira, tão necessitada, hoje, desse tributos.

Fontes (onde podem ser obtidas mais informações)

http://theatrodapaz.com.br/

https://cultura.am.gov.br/portal/teatro-amazonas/

(Sérgio Botêlho)

Memória

Teatro Amazonas, portanto, passa a fazer parte das Memórias, do Para Onde Ir.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.