Prêmio Literário José Lins do Rego segue com inscrições abertas

Prêmio Literário José Lins do Rego é fruto de parceria entre a Empresa Paraibana De Comunicação e Fundação Espaço Cultural da Paraíba

Continuam abertas as inscrições para o Prêmio Literário José Lins Do Rego 120 anos. O concurso faz parte da programação do ano cultural em homenagem ao escritor paraibano autor do livro Menino de Engenho. O prazo para se inscrever vai até 1º de outubro.

E-BOOK GRATUITO - Todas as praias de João Pessoa e Cabedelo, no Litoral Paraibano

O concurso visa a seleção e publicação impressa de 200 exemplares das cinco  obras selecionadas pela comissão julgadora e farão parte da Coleção Edições Funesc. Serão aceitos textos nas categorias do gênero romance, conto/crônica, poesia e infantojuvenil.

VACINA, SIM! VACINA, JÁ! VACINA PARA TODOS! Saiba mais, CLICANDO AQUI.

A ação é desenvolvida através de uma parceria entre a Empresa Paraibana De Comunicação (EPC), e Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) e tem como finalidade revelar e reconhecer talentos, além de estimular a criação e divulgação das obras de autores(as) da Paraíba no âmbito da literatura.

O edital pode ser acessado no site da Funesc http://www.funesc.pb.gov.br juntamente com o formulário de inscrição. Para obter mais informações pode-se entrar em contato pelo email premioliterariozelins120anos@gmail.com.

José Lins do Rego, segundo verbete da Academia Brasileira de Letras

Quarto ocupante da Cadeira 25, eleito em 15 de setembro de 1955, na sucessão de Ataulfo de Paiva e recebido pelo Acadêmico Austregésilo de Athayde em 15 de dezembro de 1956.

José Lins do Rego (José Lins do Rego Cavalcanti) foi romancista e jornalista. Nasceu no Engenho Corredor, Pilar, PB, em 3 de junho de 1901, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 12 de setembro de 1957.

Filho de João do Rego Cavalcanti e de Amélia Lins Cavalcanti, fez os primeiros estudos no Colégio de Itabaiana, PB, no Instituto N. S. do Carmo e no Colégio Diocesano Pio X de João Pessoa. Depois estudou no Colégio Carneiro Leão e Osvaldo Cruz, no Recife. Desde então revelaram-se seus pendores literários. É de 1916, o primeiro contato com O Ateneu, de Raul Pompéia. Em 1918, aos 17 anos, José Lins travou conhecimento com Machado de Assis, através do Dom Casmurro. Desde a infância, já trazia consigo outras raízes, do sangue e da terra, que vinham de seus pais, passando de geração em geração por pessoas ligadas ao mundo rural do Nordeste açucareiro.

Passou a colaborar no Jornal do Recife. Em 1922 fundou o semanário Dom Casmurro. Formou-se em 1923 na Faculdade de Direito do Recife. Durante o curso, ampliou seus contatos com o meio literário pernambucano, tornando-se amigo de José Américo de Almeida, Osório Borba, Luís Delgado e Aníbal Fernandes. Sua amizade com Gilberto Freire, na volta em 1923 de uma temporada de estudos universitários nos Estados Unidos, marcou novas influências no espírito de José Lins, através das ideias novas sobre a formação social brasileira.

Foi nomeado em 1925 promotor em Manhuçu, MG, lá não se demorando. Casado em 1924 com D. Filomena (Naná) Masa Lins do Rego, transferiu-se em 1926 para a capital de Alagoas, onde passou a exercer as funções de fiscal de bancos até 1930 e fiscal de consumo de 1931 a 1935. Em Maceió, tornou-se colaborador do Jornal de Alagoas e passou a fazer parte do grupo de Graciliano Ramos, Raquel de Queirós, Aurélio Buarque de Holanda, Jorge de Lima, Valdemar Cavalcanti, Aloísio Branco e Carlos Paurílio. Ali publicou o primeiro livro, Menino de engenho (1932), obra que se revelou de importância fundamental na história do moderno romance brasileiro. Além das opiniões elogiosas da crítica, sobretudo de João Ribeiro, o livro mereceu o Prêmio da Fundação Graça Aranha. Em 1933, publicou Doidinho, o segundo livro do “Ciclo da cana-de-açúcar”.

Em 1935, já nomeado fiscal do imposto de consumo, José Lins do Rego transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde passou a residir. Integrando-se plenamente no ambiente carioca, continuou a fazer jornalismo, colaborando em vários periódicos com crônicas diárias. Revelou-se, então, por essa época, a faceta esportiva de sua personalidade. Sofrendo e vivendo as paixões desencadeadas pelo futebol, o esporte de sua predileção, foi grande torcedor do Flamengo. Exerceu o cargo de secretário-geral da Confederação Brasileira de Desportos de 1942 a 1954.

Romancista da decadência dos senhores de engenho, sua obra baseia-se em memórias e reminiscências. Seus romances levantam todo um sistema econômico de origem patriarcal, com o trabalho semiescravo do eito, ao lado de outro aspecto importante da vida nordestina, ou seja, o cangaço e o misticismo. O autor desejaria que a sua obra romanesca fosse dividida: “Ciclo da cana-de-açúcar”: Menino de engenho, Doidinho, Banguê, Fogo morto e Usina; “Ciclo do cangaço, misticismo e seca”: Pedra Bonita e Cangaceiros; “Obras independentes”: a) com ligações nos dois ciclos: O moleque Ricardo, Pureza e Riacho Doce; b) desligadas dos ciclos: Água-mãe e Eurídice.

Recebeu o Prêmio da Fundação Graça Aranha, pelo romance Menino de engenho (1932); o Prêmio Felipe d’Oliveira, pelo romance Água-mãe (1941), e o Prêmio Fábio Prado, pelo romance Eurídice (1947).

Foto: Diego Cardoso – Cultura & Ação, 20 de out. de 2019

Edição de SEO, no Para Onde Ir: Sérgio Botêlho

Com informações da Secom-PB 

Related Posts
Democracia em Vertigem garante enorme visibilidade internacional
Sérgio Botêlho O longa brasileiro Democracia em Vertigem está entre os cinco indicados para o Oscar 2020, na categoria Documentário Longa. Assim, a obra da cineasta Petra Costa ganha prestígio internacional ...
READ MORE
Festival de Música da Paraíba homenageia Jackson do Pandeiro
Vai começar no próximo sábado, 18, a segunda edição do Festival de Música da Paraíba, que homenageia os 100 anos de nascimento de Jackson do Pandeiro. A primeira eliminatória acontecerá ...
READ MORE
23 de fevereiro de 1455: Bíblia de Gutenberg é o primeiro livro impresso
O extraordinário inventor Johann Gutenberg escolheu a Bíblia para ser o primeiro livro impresso em tipos móveis. Dessa maneira, a obra ficou conhecida como a Bíblia de Gutenberg O extraordinário inventor ...
READ MORE
Crédito da foto: Crédito: Lucas Cheste/Divulgação/UFPB
Debatedores convidados sobre o movimento brega-funk: professor Elthon Fernandes, dançarino Chestinho, e atriz e pesquisadora Luna Alexandre A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) realiza, nesta terça-feira (23), a partir das ...
READ MORE
Movie theater seats
Seis partidos políticos de oposição acionaram o STF contra decreto do governo que regulamenta a Lei Rouanet, de incentivo à cultura Seis partidos políticos de oposição acionaram o Supremo Tribunal Federal ...
READ MORE
Indústria da moda brasiliense se organiza para o pós-pandemia
00 Setor participa de ciclos de debates visando o ambiente da pós-pandemia para a indústria da moda brasiliense O segmento de moda do Distrito Federal foi o primeiro a participar do ciclo ...
READ MORE
Lei Aldir Blanc na Paraíba: estado realiza oficinas a proponentes
Secretaria de Cultura do Estado vai realizar oficinas para auxiliar proponentes à segunda fase da Lei Aldir Blanc na Paraíba A primeira reunião da Comissão Executiva da Lei Aldir Blanc após ...
READ MORE
Bica: submissão humana à natureza em instante de sublime lucidez
Sérgio Botêlho - A cidade de João Pessoa foi muito mimada pela natureza. Há por todas as partes de sua geografia predominantemente urbana exemplos magníficos dos mimos que lhe sobraram ...
READ MORE
Morre Beth Carvalho
Faleceu na tarde desta terca-feira, 30, a cantora e compositora Beth Carvalho, uma das mais importantes artistas da música popular brasileira. Mais informacões em instantes.
READ MORE
Exposições, cursos e oficinas da Funjope são suspensas em Jampa
Medida da Funjope, que obedece a decisão da Prefeitura de João Pessoa e do Governo da Paraíba, visa contribuir para conter coronavírus As atividades presenciais realizadas pela Fundação Cultural de João ...
READ MORE
Democracia em Vertigem garante enorme visibilidade internacional
Festival de Música da Paraíba homenageia Jackson do
23 de fevereiro de 1455: Bíblia de Gutenberg
Movimento brega-funk em Jampa é tema do Painel
Lei Rouanet: governo faz mudanças por decreto e
Indústria da moda brasiliense se organiza para o
Lei Aldir Blanc na Paraíba: estado realiza oficinas
Bica: submissão humana à natureza em instante de
Morre Beth Carvalho
Exposições, cursos e oficinas da Funjope são suspensas

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.