Palmeiras Imperiais da Lagoa são submetidas a tratamento

Trazidas pela família real ao Rio, as Palmeiras Imperiais da Lagoa compõem belo cenário no urbano de João Pessoa

Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) da Prefeitura de João Pessoa vão acompanhar nesta quinta-feira (19), a partir das 20h, o tratamento de palmeiras imperiais no Parque Solon de Lucena. O tratamento, preventivo, consiste na aplicação de fungicida, para evitar a doença conhecida como “quebra do pescoço”.

Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves
Palmeiras Imperiais da Lagoa. Crédito da foto: Kleide Teixeira

O Parque Solon de Lucena tem hoje 80 palmeiras no anel interno da Lagoa – dessas, 56 receberão o tratamento preventivo. Será aplicado um fungicida na parte mais alta dos troncos e nas folhas das palmeiras. O fungicida não faz mal às pessoas e a aplicação é controlada, só atingindo a planta. O procedimento será feito por técnicos de uma empresa que venceu uma licitação na Semam.

Segundo o engenheiro agrônomo Anderson Fontes, diretor de Controle Ambiental da Semam, essa é uma ação de acompanhamento e prevenção das palmeiras imperiais. “O nosso objetivo é evitar que as plantas sejam atacadas por pragas que provocam doenças e, muitas vezes, são capazes de derrubar as palmeiras”, concluiu.

Barra de Camaratuba: paraíso na beira-mar da Paraíba

Apesar de adaptada ao clima tropical, todas as plantas que são exóticas estão mais vulneráveis ao ataque de pragas e fungos. Para manter as plantas saudáveis a Semam faz o controle preventivo. No caso das palmeiras imperiais é muito comum que as plantas sofram do mal conhecido como “quebra do pescoço”, provocada por fungos, que atacam as raízes e impedem que o fluxo da seiva atinja o topo das palmeiras. Desta forma a planta fica fragilizada, com folhas amareladas, os tecidos do palmito apodrecem provocando o tombamento do topo da palmeira, do que seria chamado popularmente de “pescoço” da planta. Os técnicos da Semam vão acompanhar a aplicação de fungicida, evitando tombamento, que pode provocar acidentes com os pedestres e carros que circulam pela área do Parque Solon de Lucena.

Sobre a planta

A palmeira imperial não é nativa – é uma planta originária das Antilhas, arquipélago localizado na América Central. As primeiras mudas foram trazidas para o Brasil pela Família Real Portuguesa, no início de 1808, com o plantio onde hoje fica o Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Apesar de ser exótica, a planta se adaptou ao clima tropical do Brasil e hoje é utilizada em todo o País, especialmente no paisagismo dos parques urbanos e jardins botânicos, podendo atingir até 38 metros de altura.

Texto: Jô Vital

Fotografia: Kleide Teixeira

Edição: Sérgio Botêlho

Da redação do Para Onde Ir, com informações da Secom-JP 

Related Posts
Plantio de árvores nativas da Mata Atlântica vira programa em Jampa
Em cada rua beneficiada com pavimentação e drenagem, na capital paraibana, prefeitura incentiva plantio de árvores nativas da Mata Atlântica A Prefeitura de João Pessoa vem incentivando o plantio de árvores ...
READ MORE
Praia de Ponta de Mato
Sérgio Botêlho - Na parte norte do litoral paraibano, a que forma a beira-mar da cidade de Cabedelo, tem uma praia que é uma ilha de tranquilidade: Ponta de Mato. ...
READ MORE
Paraíba: Barra de Gramame é uma praia selvagem e bela como ela só
Sérgio Botêlho - O litoral da Paraíba tem os tipos mais diversos de praias. Em comum a todas elas, a água tépida de dar vontade de não sair do mar. ...
READ MORE
2.400 ipês são catalogados em João Pessoa, pela prefeitura
Prefeitura tem 2.400 ipês catalogados e floração embeleza vários locais em João Pessoa. Ipê é uma palavra derivada do Tupi (ï pé), que significa “árvore cascuda”. Nativa da Mata Atlântica, principal ...
READ MORE
Pôr do Sol na Praia do Jacaré. Crédito da foto: https://turismo.joaopessoa.pb.gov.br/
Sérgio Botêlho - Desde que Jurandy resolveu tocar, em seu sax, o emocionante Bolero de Ravel, em meio aos pores do sol na Praia do Jacaré, na Paraíba, nunca mais ...
READ MORE
Praia de Jacumã: da Pedra do Amor aos júbilos coletivos em alto astral
Sérgio Botêlho - Vizinha à Pedra do Amor, para o lado direito, se encontra uma praia entre as mais badaladas do Litoral Sul: a Praia de Jacumã. Pertence a um ...
READ MORE
Foto: Secom-JP
Tradicional Bica tem acesso ao público suspenso pelos próximos 15 dias, mantendo apenas o expediente interno, devido ao coronavírus Em respeito às medidas restritivas definidas pela Prefeitura de João Pessoa para ...
READ MORE
Crédito: Canva
A cidade de João Pessoa poderá sediar corridas de automobilismo. Dotada de várias áreas para competições de rua e uma excelente rede hoteleira, os secretários de Turismo de João Pessoa, ...
READ MORE
Novo Parque do Jacaré: projeto é apresentado ao distinto público
2 restaurantes, área de piquenique, píer, ciclovia, área de contemplação do pôr do sol e estacionamento, tudo isso no Novo Parque do Jacaré Um espaço público de qualidade, com conforto, segurança, ...
READ MORE
Orquestra Sinfônica de João Pessoa faz live nesta quinta, 25
Orquestra Sinfônica de João Pessoa recebe o violinista, doutor em Música pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Rucker Bezerra Acontece nesta quinta-feira (25) mais uma live do projeto ‘OSMJP Amigos & ...
READ MORE
Plantio de árvores nativas da Mata Atlântica vira
Praia de Ponta de Mato, em Cabedelo-PB: onde
Paraíba: Barra de Gramame é uma praia selvagem
2.400 ipês são catalogados em João Pessoa, pela
Pôr do sol na Praia do Jacaré: admirável
Praia de Jacumã: da Pedra do Amor aos
Parque Arruda Câmara (tradicional Bica) fecha devido à
Nelson Piquet estará em João Pessoa visitando áreas
Novo Parque do Jacaré: projeto é apresentado ao
Orquestra Sinfônica de João Pessoa faz live nesta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.