O Natal existe por causa do homem, indica o humanismo cristão

“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.” Dessa forma, Jesus Cristo rebateu críticas de fariseus que condenaram apóstolos por terem arrancado espigas de trigo, em um sábado. Então, Ele lembrou que, certa feita, Davi havia invadido uma sinagoga e comido pães da oferenda, junto a companheiros famintos.

“Em dia de sábado, o que é permitido: fazer o bem ou fazer o mal, salvar uma vida ou matar?”. Dessa forma, falou Jesus, na sequência, após curar um homem, em pleno sábado.

Cristandade

Sendo o Natal data em que a cristandade festeja o nascimento de Cristo, nada mais oportuno do que revisitar o humanismo que Lhe é primordial. Lembrar que o Natal foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do Natal.

Para o verdadeiro cristão, o homem deve ser o grande objeto de suas preocupações na Terra. Afinal de contas, são inseparáveis os desígnios de Deus e a bem-estar da humanidade. O Criador tem sobre a criatura cuidados especialíssimos.

Satisfação

Que tipo de cristão é aquele que se regozija plenamente, em qualquer tempo, com desigualdades e preconceitos vigendo com tanta força na humanidade?  E que ao invés de combater esses males, rendem-se a eles, e, até, os justificam?

Que o Natal sirva, assim, de reflexão a todos no sentido de que o homem e suas necessidades devem estar, sempre, em primeiro lugar. Pensar na satisfação humana é próprio de quem acredita no Criador, em toda a sua bondade.

Assim, o Para Onde Ir se insere numa grande corrente em favor da humanidade. Corrente essa que é formada por todos o que acreditam no homem. E que enxergam na preservação dos direitos humanos como objetivo maior do cristão na Terra.

Paz na Terra, sempre!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.