3 questões que preocupam a infraestrutura, no Brasil

Infraestrutura. Especialistas no setor, no Brasil, estão particularmente aflitos com questões conjunturais importantes, no momento. Com efeito, o que mais preocupa o setor é o trinômio insegurança jurídica, eleições e demandas regulatórias necessárias.

Dessa maneira, apesar de o quadro econômico ser favorável à atração de investidores, essas questões podem ser prejudiciais. “E se o resultado {da eleição municipal} não for bom para o governo, existe um medo de quem vai investir de saber quem vai ser o presidente daí a dois anos”, pensa o advogado Miguel Neto, sócio sênior do escritório Miguel Neto Advogado, em entrevista à mídia.

Recentemente, o Para Onde Ir publicou matéria sob o título Logística Brasileira: 74,1% cresce frota de veículos; rodovias, 0,5%. A matéria revela o drama da infraestrutura brasileira necessitada de cada vez mais investimentos no setor.

Governo

Em matéria publicada pelo HuffpostBrasil, parte de uma rede internacional de notícias online, advogados opinam sobre a situação. Desse modo, reforçam as preocupações com o quadro político atual e a atuação do governo.

”É um pouco preocupante o governo entrar em conflito com o Legislativo e o Judiciário. Por enquanto, as brigas não respingaram onde importa (na economia). Mas até que ponto isso pode começar a desandar, a gente não sabe.”

A opinião é do advogado especialista em infraestrutura, Marlon Ieiri, do L.O. Baptista Advogados. Segundo ele, até o momento, os ministros Paulo Guedes (Economia) e Tarcísio Gomes (Infraestrutura) têm conseguido manter a imagem do País.

Modelos regulatórios

Sobre os leilões previstos para este ano, no campo da infraestrutura, a preocupação dos especialistas é com os modelos regulatórios. Para os especialistas, é preciso que os modelos sejam aperfeiçoados.

“Estamos tentando trabalhar mais de perto com o TCU para tentar dar mais segurança, não só para o investidor, mas também para o agente público na tomada de decisões”, revelou Marlon Ieiri.

O problema, na visão desses especialistas, é que muitas dessas questões precisam ser apreciadas pelo Congresso. Nesse caso, sendo 2020 um ano eleitoral, o fato tende a dificultar o trâmite de matérias no parlamento.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.