Em 08 de julho comemora-se o Dia do Padeiro ou do Panificador

Tanto quanto é antigo o pão, da mesma forma é o padeiro. Calcula-se que o pão tenha origem na Mesopotâmia, atual região do Iraque. O tempo disso até os dias de hoje é de cerca de 12.000 anos.

Tanto quanto é antigo o pão, da mesma forma é o padeiro. Calcula-se que o pão tenha origem na Mesopotâmia, atual região do Iraque. O tempo disso até os dias de hoje é de cerca de 12.000 anos.

Certamente, os primeiros pães eram bem mais simples do que os de hoje em dia. Como resultado da evolução, há pães, hoje em dia, para todos os gostos. E os padeiros que os fabricam são cada vez mais especializados.

Neste dia 08 de julho comemora-se o Dia do Padeiro, ou Dia do Panificador. Segundo matéria da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip) os primeiros grandes padeiros foram os egípcios.

O pão para os egípcios era de grande importância. Consta, segundo a matéria da Abip, que os faraós tinham suas próprias padarias. Com uma curiosidade à antiga: essas padarias eram enterradas junto com eles.

ACESSE OS SERVIÇOS OFERECIDOS PELO ‘PARA ONDE IR’, DÓLAR, VIAGENS AÉREAS, HISTÓRIA HOJE, BOLSA, ANIVERSÁRIOS MUNICIPAIS, E APROVEITE PARA ASSINAR O BLOG POR E-MAIL|

Mas, além da alimentação, o pão também chegava a ser moeda. De acordo com o texto da Abip, o pão até servia para pagar salários. Essa condição parece ter prosseguido até a Idade Média, para fora das fronteiras do Egito.

Alimento básico

O pão é, há séculos sem fim, o alimento básico do homem. Dessa maneira, está largamente registrado na Bíblia. “Eu sou o pão da vida”, disse Jesus. “O pão nosso de cada dia nos dai hoje”, diz o Padre Nosso.

Na Santa Ceia, e na tradição católica posterior, o pão passou a simbolizar o corpo de Cristo. Naquele momento, um dos pontos altos do Novo Testamento, disse Jesus a seus discípulos “Tomai e comei todos vós, este é o meu corpo, que é dado por vós…”.

Dia do padeiro

O Dia do Padeiro tem a ver com a história de Santa Isabel. Em tempos de fome no Reino de Portugal, a rainha Isabel distribuía pães com os pobres, mesmo sob vigilância do rei, Dom Diniz.

Relata-se até um milagre, ocorrido em 08 de julho de 1333. No momento em que a rainha levava pães no colo, o rei pediu para ver o conteúdo. Sem titubear, ela disse que levava rosas. O rei então pediu para ver. Quando Isabel abriu os braços, caíram rosas belas e frescas, aos gritos de “milagre, milagre” dos pobres que aguardavam.

ENVIAR MENSAGEM

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.