7 destinos de referência mundial, no Brasil, para pessoa com deficiência

#pessoascomdeficiência – 7 destinos brasileiros, de referência mundial, a pessoa com deficiência, segundo a Empresa Brasileira de Turismo

Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) está divulgando matéria referência sobre destinos turísticos  de todo o mundo conhecerem e curtirem uma experiência única

A iniciativa ocorre em comemoração aos sete anos da Lei Brasileira de Inclusão, sancionada em 6 de julho de 2015 (Lei nº. 13.146). O instrumento tem como objetivo assegurar e promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais dessa parcela da população, visando à sua inclusão social e cidadania.

Levantamento feito pela Gerência de Acessibilidade da Agência traz experiências acessíveis de norte a sul do Brasil, com segmentos que vão de sol e praia a turismo cultural. “Toda pessoa com deficiência tem direito à igualdade de oportunidades como as demais e isso inclui o direito ao turismo, a boas experiências em suas viagens e passeios”, afirma o presidente da Embratur, Silvio Nascimento.

Vale ressaltar que turismo, lazer e cultura estão entre os direitos das pessoas com deficiência que devem ser assegurados pelo Estado, pela sociedade e pela família, conforme consta no capítulo 2 da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. A nível mundial, a Organização Mundial de Saúde (OMS, 2012) estima que mais de 1 bilhão de pessoas possuam algum tipo de deficiência.

Veja a seguir as sete dicas da Embratur de atrativos turísticos acessíveis no Brasil

Socorro (SP)

Considerada uma das cidades brasileiras que mais oferecem opções de turismo de aventura, Socorro, em São Paulo, também é referência nacional em acessibilidade. O município já foi reconhecido com o Prêmio Rainha Sofia de Acessibilidade, outorgado pelo Conselho Real para Deficiência da Espanha. São dezenas de opções para praticar esportes de aventura (tirolesa, rafting, trilhas, canoagem, cavalgada, rapel etc), contato com águas medicinais e um rico acervo cultural. Bons exemplos são o Horto Municipal, que dispõe de um jardim aromático com sinalização tátil, que envolve pisos de alerta e direcional, mapas táteis e placas em braile. Os Parques dos Sonhos e Monjolinho, além do Portal do Sol Hotel Fazenda são excelentes opções disponíveis que contam com rampas de acesso, banheiros adaptados, entre outros itens de acessibilidade.

Brasília (DF)

Com intuito de transformar o Planalto Central em referência em todo território nacional, o Distrito Federal desenvolveu um Guia Arquitetônico de Turismo Acessível, cuja rota está no escopo de um acordo de cooperação com a Embratur. O material percorre seis atrativos localizados no Eixo Monumental de Brasília e, com ele, o turista com deficiência é orientado sobre como se deslocar entre os pontos, como acessar esses locais e o que vai encontrar em cada um deles. O turista dispõe ainda de informações de como chegar, percorrer e transitar por cartões postais como o Memorial JK, o Planetário, a Torre de TV, o Complexo Cultural da República, a Catedral Metropolitana e a Praça dos Três Poderes.

Manaus (AM)

A capital do Amazonas tem evoluído no tema acessibilidade. Por meio do lema ‘Cultura acessível para todos’, a cidade tem investido em projetos de museus mais acessíveis, como é o caso do Museu da Cidade. Inaugurado em 2018 no centro de Manaus, recebeu inovação e recursos de acessibilidade. O local conta com monitores treinados para receber visitantes com deficiência, além de estrutura com rampas de acesso, banheiros adaptados, pisos de alerta e direcional. Além disso, aplicativos estão disponíveis para acesso a uma playlist com áudio-guia de todo o conteúdo que a instalação oferece. O Museu Casa Eduardo Ribeiro é outro que permite a visitação de pessoas com deficiência, dispondo de rampas de acesso e elevadores em todo o complexo.

Foz do Iguaçu (PR)

As Cataratas do Iguaçu possuem ônibus adaptados e equipados para atender todos os visitantes. Por meio dos equipamentos de áudio, durante o trajeto, são transmitidas informações sobre o parque, opções de passeios e serviços disponíveis. A acessibilidade também está presente em outros serviços. O visitante com alguma dificuldade de locomoção pode ser auxiliado por guias turísticos durante todo o percurso do parque. Complementam os atrativos uma rede hoteleira preparada com rampas de acesso e leitura em braile.

Rio de Janeiro (RJ)

Um dos principais cartões postais do mundo, o Rio de Janeiro também possui opções para as pessoas com deficiência. O Morro do Corcovado, local onde está o Cristo Redentor, conta com elevadores, banheiros acessíveis e escadas rolantes que levam aos pés da estátua. Durante todo o passeio, guias estão preparados para fazer o acompanhamento da pessoa com deficiência. Caso haja necessidade, a administração oferece cadeira manual. Outros atrativos da cidade que já apostam na acessibilidade são o Pão de Açúcar, o Jardim Botânico e o Parque Nacional da Tijuca. As praias da Barra e de Copacabana possuem o projeto ‘Praia para Todos’, que oferece banhos assistidos auxiliados por cadeiras adaptadas (anfíbias). Frescobol e vôlei sentado são atividades possíveis de serem praticadas com auxílio de profissionais presentes na orla.

Fernando de Noronha (PE)

O arquipélago também oferece boas opções para praticar o turismo acessível. A Praia do Sueste, por exemplo, conta com rampas da entrada até a faixa de areia e conta com cadeiras adaptadas, que permitem chegar até o mar e tomar banho. A Praia do Sancho, considerada uma das mais bonitas do mundo, conta com um mirante todo adaptado, feito em rampas confortáveis. Outra praia acessível na ilha é a Praia do Leão. Ela também conta com mirantes incríveis, mas virados para o Mar de Fora. Além das belas praias, a ilha pernambucana conta com o Parque Nacional Marinho. Ele dispõe de pontes e trilhas suspensas, bosques sensoriais, elevadores, além de rampas e veículos adaptados.

Salvador (BA)

A capital da Bahia, também conhecida pelas dezenas de passeios e pontos turísticos incríveis, conta com várias atrações acessíveis ao turista com deficiência. A Ponta de Humaitá, por exemplo, é equipada com banheiros adaptados, além de ruas com rampas. Lá, é possível ter experiência com a cultura da capoeira, onde há rodas semanais. O cartão postal Elevador Lacerda também dispõe de itens de acessibilidade, assim como o Mercado Modelo e o Museu de Arte Sacra. O turista que quiser ter contato com o mar, pode ir até a famosa Praia de Ondina. Por meio do projeto ‘Para Praia’, o local disponibiliza cadeiras adaptadas que permitem o contato com o mar.

FONTE:

https://embratur.com.br/2022/07/06/embratur-apresenta-atrativos-brasileiros-acessiveis-em-comemoracao-aos-sete-anos-da-lei-brasileira-de-inclusao-da-pessoa-com-deficiencia/

Edição do Para Onde Ir: Sérgio Botêlho, com informações da Embratur

You may also like

Comente