Bolsas de pós-graduação pra quê?

O corte dos recursos não surtirá efeitos negativos apenas no aspecto acadêmico das instituições, mas terá impactos diretos na sociedade e na qualidade da vida das pessoas”

*Vahan Agopyan

Nas últimas semanas, um assunto recorrente tem sido as dificuldades enfrentadas pelas agências federais para manter o número de bolsas de estudo e honrar os auxílios já concedidos decorrentes do contingenciamento financeiro.

Nesse quadro, destacam-se as bolsas de pós-graduação, que beneficiam jovens talentosos dos cursos de mestrado e doutorado do País que estão se preparando paras as carreiras de pesquisador e de docente. Essas instituições oferecem outros tipos de bolsas, como as de iniciação científica, para os alunos de graduação, e as de pós-doutoramento, destinada os novos doutores que se envolvem em projetos de pesquisa, sem vínculo empregatício.

Os dirigentes das principais agências – como a Capes, ligada ao Ministério da Educação, e o CNPq, ligado ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – estão se desdobrando para reduzir o impacto negativo da restrição orçamentária no ambiente científico nacional, mas os orçamentos dessas instituições precisam ser recompostos com medidas emergenciais neste ano e na proposta orçamentária de 2020.

Os jovens que estão envolvidos ou pretendem seguir na pós-graduação stricto sensu terão suas aspirações frustradas. Muitos deles poderão abandonar o sonho de desenvolver uma pesquisa e ingressar na vida profissional. Outros, mais persistentes, devem continuar como alunos de pós-graduação em tempo parcial, prolongando suas atividades na universidade por longos anos.

Esse quadro é sombrio. A produção científica mundial é fortemente apoiada nas pesquisas desenvolvidas nos programas de pós-graduação. Mesmo nas instituições científicas não universitárias, a pesquisa depende dos pós-graduandos e dos pós-doutorandos.

Portanto, a redução do número de bolsas está diretamente relacionada à diminuição do volume de pesquisas e do ritmo de formação de recursos humanos qualificados e, em última instância, do desenvolvimento econômico, tecnológico, social e cultural de nosso país.

As universidades são inábeis na divulgação de suas atividades e, por isso, muitos perguntarão se, de fato, a redução da pesquisa trará prejuízos para o Brasil. Você, por exemplo, que lê este artigo, provavelmente já se beneficiou de algum estudo conduzido na USP, mas este é um tema que não pode ser discutido em um espaço reduzido como este.

O número de bolsas disponíveis não é grande. A USP, que é o maior centro de pós-graduação do País, com 30 mil alunos e 7 mil mestres e doutores formados por ano, recebe 12 mil bolsas em todas as áreas do conhecimento, das quais 75% são oriundas das agências federais.

Mesmo que parte considerável dos alunos não necessite de bolsa, pois tem empregos que estimulam esse tipo de atividade, a Universidade teria capacidade para receber mais 5 ou 6 mil bolsas, já que os programas de pós-graduação da USP são muito concorridos e os ingressantes passam por seleção rigorosa, com grande potencial de sucesso. Se tivéssemos mais bolsas de pós-graduação, o volume de pesquisa da USP seria ainda maior.

As universidades estaduais paulistas, que respondem por quase 40% da produção científica brasileira, são afetadas pela crise das agências de fomento federais e um eventual colapso nesse sistema terá reflexos nas instituições e em toda a pesquisa nacional.

Talvez seja uma falha da academia ter suposto que era óbvia para a sociedade a compreensão que o investimento em ensino e pesquisa é a garantia de um futuro melhor para a nação. Devemos assumir a mesma abordagem dos países que são considerados por muitos como modelos, caso da Coreia do Sul e Israel, que nunca deixaram de investir no ensino e pesquisa, mesmo nos momentos mais desfavoráveis de sua existência, em meio à guerra e à fome.

*Professor titular da Escola Politécnica (Poli) e reitor da Universidade de São Paulo (USP). Artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo, editoria Tendências & Debates, página 3, em 18/9/19)

 
Related Posts
Enem: o que é e para que serve o exame anual brasileiro
O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é realizado anualmente desde 2009. Instituído em 1998 pelo Ministério da Educação (MEC) é realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas ...
READ MORE
Funesc inicia transmissão do Cine Enem a partir desta quarta, 11
Cine Enem reúne professores de diferentes áreas da Educação Básica e estudantes de Ensino Médio  A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) inicia, neste mês de agosto, a transmissão do ‘Cine ...
READ MORE
Intercâmbio com os EUA: Jovens Embaixadores abre inscrições
Programa Jovens Embaixadores abriu as inscrições para a edição 2022 do programa de Intercâmbio com os EUA O Programa Jovens Embaixadores abriu, nesta quarta-feira (17), as inscrições para a edição 2022 ...
READ MORE
Dia Nacional do Livro Didático é comemorado neste 27 de fevereiro
Trajetória do livro didático no Brasil começou em 1929, quando criado o Instituto Nacional do Livro (INL), com a função se legislar esta área O livro de forma geral, surgiu pela ...
READ MORE
Canal Futura apetrecha Fundac com Maleta Juventudes
Maleta Juventudes é projeto da Fundação Roberto Marinho que procura valorizar trajetórias pessoais, projetos de vida e promoção social O trabalho realizado no âmbito da socioeducação levou a Fundação Desenvolvimento da ...
READ MORE
Destaques da semana: Inscrições do Enem; crédito positivo; privatização da Eletrobrás; julgamento virtual do pedido de liberdade para Lula
Destaques da semana: Inscrições do Enem; crédito positivo; privatização da Eletrobrás; julgamento virtual do pedido de liberdade para Lula A semana começa com o início do período de inscrições no Exame ...
READ MORE
Bett Educar 2019: 7 dias dedicados à Educação
Vai começar o Bett Educar 2019, o maior congresso de Educação da América Latina que se realizará em São Paulo no período de 14 a 17 deste mês de maio, ...
READ MORE
Programa Paraíba Primeira Infância é aprovado na ALPB
Objetivo do Programa Paraíba Primeira Infância é estabelecer princípios, objetivos, eixos e competências visando beneficiar crianças no estado A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, na sessão híbrida desta quarta-feira (17), ...
READ MORE
Material escolar
Famup avisa sobre prorrogação e necessidades de os município formalizarem os dados contábeis para o Valor Aluno Ano Total A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) alertou, nesta terça-feira ...
READ MORE
João Azevedo recebe prêmio como destaque da Paraíba em Educação
Centro de Licerança Política premia governador paraibano, pela plataforma Paraíba Educa, como destaque da Paraíba em Educação A plataforma Paraíba Educa foi a vencedora da edição 2021 do Prêmio Excelência em ...
READ MORE
Enem: o que é e para que serve
Funesc inicia transmissão do Cine Enem a partir
Intercâmbio com os EUA: Jovens Embaixadores abre inscrições
Dia Nacional do Livro Didático é comemorado neste
Canal Futura apetrecha Fundac com Maleta Juventudes
Destaques da semana: Inscrições do Enem; crédito positivo;
Bett Educar 2019: 7 dias dedicados à Educação
Programa Paraíba Primeira Infância é aprovado na ALPB
Dados para cálculo do Valor Aluno Ano Total
João Azevedo recebe prêmio como destaque da Paraíba

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.