Bananeiras: clima de serra, casario preservado e muita história

Parte do perímetro frio da Paraíba, Bananeiras transpira simpatia e cenários típicos de ricas épocas de domínio do café e da cana de açúcar

Numa época em que sequer o trem era opção logística, Bananeiras produzia um café de qualidade, a ponto de rivalizar com o café produzido em São Paulo. Segundo relata o portal Destino Paraíba, do governo estadual, o município produzia cerca de 1 milhão de sacas, ao ano, por volta da segunda metade do século XIX.

A produção tinha de ser escoada de forma precária, pois o trem somente chegaria décadas depois do boom do café bananeirense, prejudicando a concorrência com os paulistas, portanto. Na chegada da ferrovia, em 1922, já a produção cafeeira daquela bela cidade paraibana sofria forte declínio por conta de uma praga.

Antes do café, Bananeiras vivia da cultura da cana de açúcar, comum a toda a região brejeira paraibana. Assim, da riqueza oriunda desses dois ciclos econômicos que produziram muita riqueza ao município, a cidade guarda, ainda hoje, casarões e prédios emblemáticos bem representativos daqueles períodos históricos.

Conforme descreve o Destino Paraíba, “o patrimônio arquitetônico (casario) do Município é muito rico (mais de 80 edificações catalogadas pelo IPHAEP), sendo que a grande maioria desse patrimônio encontra-se em bom estado de conservação e em 2010 a cidade foi tombada como patrimônio histórico do estado da Paraíba, pelo IPHAEP”.

Artesanato

Destaque ainda para o artesanato, especialmente na manipulação da madeira, bambu, cabaças e derivados da bananeira. “Bonecas de pano, além da palha da bananeira; na produção de bolsas, escarcelas, pastas, caixas, santos, bonecos, cadernetas para anotações e bandejas, que são vendidas também no Sudeste do Brasil e no exterior”, realça o Destino Paraíba.

Caminhos do Frio

Hoje, juntamente com os municípios de Areia, Pilões, Remígio, Solânea, Serraria, Matinhas, Alagoa Nova e Alagoa Grande, Bananeiras faz parte de uma programação turística muito bem sucedida, que ocorre entre os meses de julho e setembro, denominado Caminhos do Frio, que atrai viajantes de todo o país, e, principalmente, da região Nordeste.

Mas, a qualquer época do ano, Bananeiras é destino de forte atração, na Paraíba, reunindo história, preservação arquitetônica e ambiental que destacam a cidade em diversos quesitos que fazem do turismo paraibano um dos mais notáveis da região.

Publicações sobre Economia do Turismo Nas Águas dos Potiguaras - ebook - praias de João Pessoa e Cabedelo, no litoral paraibano. Deixe o email e FAÇA O DOWNLOAD.
Related Posts
Medalha Senador José Maranhão pode ser criada no Senado Federal
Objetivando premiar expoentes da luta contra a covid, Senado pode criar Medalha Senador José Maranhão, conforme proposta da senadora campinense, Daniella Ribeiro Aguarda análise no Senado um projeto de resolução que ...
READ MORE
Em pleno Nordeste, tem o Circuito do Frio na Paraíba
Essencialmente, a campanha é dirigida aos paraibanos. Empreendida pela Empresa Paraibana de Turismo (PB-TUR), visa reforçar o turismo estadual. Dessa forma, na perspectiva do que a pandemia vem ajustando como ...
READ MORE
Pelo turismo da Paraíba, parlamentares querem unir poder público e trade
Frente Parlamentar de Empreendedorismo da Assembleia Legislativa da Paraíba pretende debater rumos para o turismo da Paraíba pós-pandemia  A Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico, da Assembleia Legislativa da Paraíba ...
READ MORE
Foto: Google
Sérgio Botêlho - Começámos, nesta segunda-feira, 09, nossos registros, aqui no Para Onde Ir, sobre as duas capelas com referência à história da luta contra os holandeses. Desta feita, cumpre abordar ...
READ MORE
Baía da Traição:  Crédito da foto: Trilha dos Potiguaras
Para curtir as praias paradisíacas da região os turistas contam, agora, com uma central móvel de atendimento, com orientações de roteiros Turistas que estão curtindo o período de Carnaval em Baía ...
READ MORE
Crédito: Prefeitura de Pedras de Fogo
Sérgio Botêlho - A Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Pedras de Fogo, é obra religiosa cuja conclusão data de finais do século XIX. Para não fugir da regra, ...
READ MORE
Praia do Holandês, em Lucena, e seus lençóis d’água na maré baixa
Sérgio Botêlho - Praia do Holandês (também referenciada pela praia de Pontinha) é uma das beira-mares de Lucena que mais provocam admiração. Principalmente em virtude dos efeitos naturais provocados pela ...
READ MORE
Vale dos Dinossauros: destaque pré-histórico do Sertão paraibano
Em Sousa, no Sertão Paraibano, o destaque é pré-histórico, na forma do Vale dos Dinossauros, momento singular no roteiro turístico estadual A descoberta na região do Rio do Peixe, mais precisamente ...
READ MORE
Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem-Alagoa Grande: destaque histórico
Alagoa Grande é um dos municípios paraibanos que nasceu e cresceu à sombra da lavoura da cana de açúcar, embora tenha se firmado enquanto vila um pouco depois de cidades ...
READ MORE
Pedra do Amor, no Conde: moldura inesquecível. E a praia? Vixe!!!
Sérgio Botêlho - As praias do Litoral Sul da Paraíba guardam, em seu conjunto, cenários paradisíacos, como a Pedra do Amor, um incidente espontâneo em perfeita sintonia com a natureza ...
READ MORE
Medalha Senador José Maranhão pode ser criada no
Em pleno Nordeste, tem o Circuito do Frio
Pelo turismo da Paraíba, parlamentares querem unir poder
Capela de Nossa Senhora da Batalha: referência histórica
Baía da Traição é beneficiada com central móvel
Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Pedras
Praia do Holandês, em Lucena, e seus lençóis
Vale dos Dinossauros: destaque pré-histórico do Sertão paraibano
Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem-Alagoa Grande:
Pedra do Amor, no Conde: moldura inesquecível. E

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.