27 de julho: Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho

A data de 27 de julho como Dia Nacional da Prevenção de Acidentes de Trabalho  serve para alertar empregados, empregadores, governos e sociedade civil 

Acidente de trabalho é aquele que ocorre durante o serviço ou no trajeto entre a residência e o local de trabalho, provocando lesão corporal ou perturbação funcional, acarretando a perda ou redução da capacidade para o trabalho e, em último caso, a morte. Além disso, as doenças ocupacionais podem ser enquadradas nessa categoria.

Os acidentes podem ser causados por fatores naturais ou por falta de medidas de proteção. Por isso, é fundamental o uso correto de equipamentos de segurança, a realização de exames médicos periódicos e a implantação do Plano de Prevenção de Riscos Ambientais, entre outros.

Para os profissionais de saúde, que salvam vidas, é ainda mais importante evitar os acidentes de trabalho. A conscientização dos profissionais e o esforço para aplicar medidas de segurança coletivas e individuais são as melhores medidas de prevenção.

A data comemorativa tem o objetivo de alertar empregados, empregadores, governos e sociedade civil para a importância de práticas que reduzam o número de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, promovam um ambiente seguro e práticas saudáveis em todos os setores produtivos.

O marco tornou-se oficial em 1972, depois de regulamentada a formação técnica em Segurança e Medicina do Trabalho. Em 27/7/1972, foram publicadas as portarias de nº 3236, que instituiu o Plano Nacional de Valorização do Trabalhador, e a de nº 3237, que tornou obrigatórios os serviços de medicina do trabalho e engenharia de segurança do trabalho em todas as empresas com um ou mais trabalhadores.

Os dados de doenças e acidentes relacionados ao trabalho apontam número relevante de registro – entre 2007 e 2017 foram registrados 1.324.752 casos, sendo:

– Acidentes de Trabalho: 703.193 acidentes de trabalho graves;

– 466.137 acidentes de trabalho por exposição a material biológico;

– 50.841 intoxicações por exposição a substâncias químicas relacionadas ao trabalho.

Doenças relacionadas ao trabalho:

– 77.732 casos de LER/Dort;

– 8.607 casos de transtornos mentais;

– 6.645 casos de perda auditiva induzida pelo ruído (PAIR);

– 6.554 casos de dermatose ocupacional;

– 3.810 casos de pneumoconiose;

– 1.233 casos de câncer ocupacional. Proporcionalmente, os casos de câncer ocupacional tiveram o maior aumento de número de casos, apresentando um incremento de 3.800%.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) coloca o Brasil em quarto lugar no ranking mundial de acidentes fatais ocorridos no ambiente de trabalho. Isto significa que ainda há muito o que conquistar e que as ações práticas precisam acontecer em três frentes, envolvendo governos, empregadores e colaboradores.

Manter ambientes e processos de trabalho saudáveis é uma responsabilidade compartilhada entre empregadores e trabalhadores. A participação dos trabalhadores é essencial no processo de identificação das situações de riscos presentes nos ambientes de trabalho, assim como as repercussões dos riscos sobre a sua saúde.

O Ministério da Saúde tem proposto estratégias e orientações à Rede Nacional de Atenção Integral a Saúde do Trabalhador (Renast) que permitam a detecção, modificação e cuidado oportuno e integral a todos os trabalhadores. E, ainda, atuação na vigilância nos locais de trabalho com intervenções que propiciem a eliminação ou minimização dos riscos inerentes ao processo de trabalho.

Fontes:

Associação Nacional de Medicina do Trabalho

Federação Médica Brasileira

Ministério da Defesa. Marinha do Brasil

Ministério da Saúde

Sérgio Botêlho, na edição dos Destaques do Dia do Para Onde Ir

You may also like

Comente

Up ↑

%d bloggers like this: