Em debate na CLDF, a Universidade do Distrito Federal

Proposta da Universidade do Distrito Federal é do Poder Executivo por meio do Projeto de Lei Complementar nº 34/2020

Deputados distritais e especialistas em educação reuniram-se na noite desta quinta-feira (15) para debater a criação da Universidade do Distrito Federal (UnDF). Devido à complexidade do tema, proposto pelo Poder Executivo por meio do Projeto de Lei Complementar nº 34/2020, uma série de discussões têm sido realizadas na Câmara Legislativa antes da apreciação da matéria em plenário.

Ao iniciar o debate, a diretora executiva da Fundação Universidade Aberta do Distrito Federal (FUNAB), Simone Benck, fez uma retrospectiva das diferentes legislações sobre educação superior no DF e lembrou que a criação da UnDF está prevista na Lei Orgânica. Benk também citou dados sobre escolarização em Brasília para justificar a necessidade da instituição. Segundo ela, em 2020, o DF apresentou o maior número nacional de anos de estudo por alunos na faixa etária de 18 e 19 anos, além de possuir uma média de conclusão da educação básica de 79,4%, maior que a média brasileira de 65%. Para a diretora, as estatísticas são resultado da renda local, uma vez que o DF possui o maior PIB per capta do país. Porém, há também um reflexo negativo nos índices de desigualdade.

“Enquanto a parcela dos 25% mais pobres do DF não alcança a média nacional em anos de estudo na faixa de 18 e 19 anos, os 25% mais ricos a superam. Eu pergunto: ‘Há equidade?’”. A especialista afirmou que o DF ocupa a terceira posição no ranking nacional de jovens que não estudam nem trabalham e que a falta de uma maior oferta de vagas no ensino superior pode estar relacionada. “O DF é uma das cinco Unidades da Federação que não têm uma universidade própria que possa contribuir para uma função social, corroborar com o desenvolvimento socioeconômico do DF e, principalmente, contribuir para a formação de cidadãos que retroalimentem tanto a gestão pública quanto os outros setores sociais”, concluiu.

Metodologias de qualidade

Já a preocupação de Natália Duarte, pedagoga, professora e integrante do Fórum Distrital de Educação, é de que a qualidade do ensino das instituições superiores já existentes, principalmente a Escola Superior de Ciências da Saúde e Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências de Saúde, possa ser influenciada negativamente no caso de incorporação à UnDF. “O desenvolvimento e a consolidação de um currículo baseado em metodologias ativas voltadas para a resolução de problemas e com uma formação pelo trabalho são os elementos responsáveis pelo sucesso da ESCS, mas que não estão previstos no PLC 34/2020”, apontou.​​​​​​​

Natália observou que há um desejo geral entre dirigentes e alunos dos centros de ensino de que essas metodologias sejam asseguradas depois da criação da UnDF e um receio de que interferências de outros órgãos possam prejudicar a fundação e o funcionamento da universidade.

“O PLC não representa o que está sancionado em lei. Já está posto o que precisa ser feito. Não há espaço para consultoria que diga que tipo de universidade distrital o DF precisa. Essa resposta foi dada pela sociedade, está prevista em lei e deve ser assegurada”, declarou.

Inclusão

​​​​​​​Em sua fala, Dilvo Ilvo Ristoff, ex-reitor universitário e antigo membro da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação, falou sobre as baixas taxas de educação superior do Brasil, em comparação a outros países. Ele disse acreditar que há um esforço no DF para criar uma universidade pública em um ambiente de alta privatização com o objetivo de promover o ingresso das populações mais carentes. “A palavra de ordem agora não é apenas ‘expansão’, mas sim ‘democratização’. Assegurar a todos, em especial aos mais necessitados, as oportunidades que lhes têm sido historicamente negadas”, explicou ao citar o aumento do ingresso de alunos de baixa renda no ensino superior nas últimas décadas.

Já o professor universitário e ex-presidente da Câmara Técnica de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, Erastos Mendonça, reiterou essa preocupação com a inclusão ao questionar o que a Lei Orgânica prevê sobre o ensino superior. Ele lembrou que, por funcionar como estado e município simultaneamente, o DF tem obrigação de ofertar, segundo a Constituição Federal, apenas educação básica e pré-escolar, ensino fundamental médio. Afirmou, portanto, ter um “sentimento de júbilo e de cautela” ao mesmo tempo.

Universidade democrática

​​​​​​​O deputado Leandro Grass (Rede) frisou que há uma longa trajetória desde a concepção da UnDF e a concretização do PLC 34/2020 e disse desejar que a instituição reflita os valores das universidades atuais. “A universidade contemporânea não é estática, mas sim de movimento, e essencialmente democrática, pois efetiva direitos. Primeiramente, o direito à educação, mas também efetiva outros a partir da extensão, da interação com o território que ocupa e de sua relação com o Poder Público e a sociedade civil organizada”, defendeu.

Sobre a relação entre universidades e a população, Arlete Sampaio (PT) lembrou que fomentar a educação superior é uma forma de melhorar a educação básica. “Como podemos incentivar os jovens que vão ingressar nos novos cursos a suprir a deficiência de profissionais na Secretaria? Temos condições de criar uma série de graduações e uma das nossas preocupações deveria ser fazer a Universidade Distrital fornecer os profissionais que a Secretaria de Educação precisa”, concluiu.

Da redação do Para Onde Ir com informações da Assessoria da Câmara Legislativa 

Related Posts
Municipalistas expõem preocupação com os mínimos a saúde e educação
Mínimos a saúde e educação e auxílio emergencial são petições da CNM ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que defende equilíbrio fiscal O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, reuniu-se remotamente nesta ...
READ MORE
Fies: resultado da pré-seleção já pode ser consultado; saiba mais
Com um dia de atraso, o resultado da pré-seleção para bolsas oferecidas pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) 2021 foi publicado na manhã desta quarta-feira (3). Com um dia de atraso, ...
READ MORE
Destaques da semana: Inscrições do Enem; crédito positivo; privatização da Eletrobrás; julgamento virtual do pedido de liberdade para Lula
Destaques da semana: Inscrições do Enem; crédito positivo; privatização da Eletrobrás; julgamento virtual do pedido de liberdade para Lula A semana começa com o início do período de inscrições no Exame ...
READ MORE
Bett Educar 2019: 7 dias dedicados à Educação
Vai começar o Bett Educar 2019, o maior congresso de Educação da América Latina que se realizará em São Paulo no período de 14 a 17 deste mês de maio, ...
READ MORE
Bolsas de pós-graduação pra quê?
"O corte dos recursos não surtirá efeitos negativos apenas no aspecto acadêmico das instituições, mas terá impactos diretos na sociedade e na qualidade da vida das pessoas" *Vahan AgopyanNas ...
READ MORE
Por meios digitais, UEPB festeja os 15 anos do Campus V, em Jampa
As atividades dos 15 anos do Campus V  serão realizadas nesta semana, por meio do Google Meet e YouTube Oficinas, minicursos, mesas de diálogo, mostra científica e palestras integram a programação ...
READ MORE
Funesc inicia transmissão do Cine Enem a partir desta quarta, 11
Cine Enem reúne professores de diferentes áreas da Educação Básica e estudantes de Ensino Médio  A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) inicia, neste mês de agosto, a transmissão do ‘Cine ...
READ MORE
Paulo Freire semeou esperança e continua nos inspirando, exalta Azevedo
Governador João Azevedo posta mensagem no Twitter e homenagem ao Patrono da Educação Brasileira, Paulo Freire Em homenagem ao professor Paulo Freire, Patrono da Educação Brasileira, o governador João Azevedo postou ...
READ MORE
Dia Nacional do Livro Didático é comemorado neste 27 de fevereiro
Trajetória do livro didático no Brasil começou em 1929, quando criado o Instituto Nacional do Livro (INL), com a função se legislar esta área O livro de forma geral, surgiu pela ...
READ MORE
UFPB assume liderança nacional em registro de patentes
A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) assumiu o primeiro lugar no ranking nacional de registro de patentes. Em segundo lugar, está a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Ambas passaram ...
READ MORE
Municipalistas expõem preocupação com os mínimos a saúde
Fies: resultado da pré-seleção já pode ser consultado;
Destaques da semana: Inscrições do Enem; crédito positivo;
Bett Educar 2019: 7 dias dedicados à Educação
Bolsas de pós-graduação pra quê?
Por meios digitais, UEPB festeja os 15 anos
Funesc inicia transmissão do Cine Enem a partir
Paulo Freire semeou esperança e continua nos inspirando,
Dia Nacional do Livro Didático é comemorado neste
UFPB assume liderança nacional em registro de patentes

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.