CNT leva a ministro receio com segurança no transporte frente a greve

Em audiência com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, presidente da CNT, Vander Costa, expôs apreensão do setor de transporte frente a greve prometida por caminhoneiros; ministro diz que garantirá segurança nas estradas

presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte), Vander Costa, reuniu-se, nesta terça-feira (26), com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para debater a segurança do transporte de cargas no Brasil em uma eventual paralisação dos caminhoneiros autônomos.

Na ocasião, o presidente da CNT reafirmou que a entidade não respalda qualquer movimento grevista por parte desses profissionais.

O ministro afirmou que o governo garantirá a segurança nas estradas brasileiras. A CNT, por sua vez, reafirmou que, com segurança, as transportadoras não irão parar e não haverá desabastecimento.

De acordo com  o portal de notícias Metropoles, porta-vozes de caminhoneiros afirmaram que a promessa de greve para dia 1 de novembro está de pé. Segundo alguns motoristas influentes da categoria, mesmo tendo votado no presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a greve se tornou necessária no transporte de cargas, pois não dá mais para trabalhar. Além do preço do diesel, outra reivindicação realizada é a “defesa da constitucionalidade do Piso Mínimo de Frete” e o retorno da aposentadoria especial após 25 anos de contribuição ao INSS.

Ainda conforme informações do Metropoles, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse, durante palestra, não acreditar em uma greve de caminhoneiros de grandes proporções atingindo o transporte de carga no próximo dia 1° de novembro. Tarcísio falou duramente sobre “meia dúzia de lideranças” que chamam paralizações frequentes e afirmou que o movimento não tem motivos nem poder de baixar o preço do diesel no Brasil. “Você acha que vai baixar numa greve? Lamento, não vai”, declarou.

Edição do Para Onde Ir: Sérgio Botêlho, com informações do Metropoles e da Agência CNT

 

 

You may also like

Leave a Reply