Campeã olímpica e rumo a Paris, #Rebeca Andrade quer ser espelho

“Essa medalha não é só minha, e muita gente tem um pedacinho dela”, diz #Rebeca Andrade, já trabalhando com vistas a #Paris

“Essa medalha não é só minha, e muita gente tem um pedacinho dela”, diz #Rebeca Andrade, já trabalhando com vistas a #Paris

Aos poucos #Rebeca Andrade vai se acostumando a ser chamada de campeã olímpica. Ouro no salto e prata no individual feminino nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, a ginasta encarou uma agenda cheia nesta quinta-feira, dia 12, no Rio de Janeiro e, apesar do cansaço das poucas horas de sono, esbanjou carisma e simpatia em visita ao CT do Time Brasil e no reencontro com as companheiras de clube.

“Estou vivendo dias muito especiais, aproveitando cada minuto. Eu sabia que muita gente ficou feliz, comemorou a conquista das medalhas, lá no Japão tirei fotos na Vila, mas só agora que cheguei ao Brasil estou entendendo a proporção disso tudo. Essa medalha não é só minha, ela é consequência de um trabalho e muita gente tem um pedacinho dela”, afirmou Rebeca, que terá apenas três dias de folga com a família, antes de retornar aos treinos, na semana que vem.

As medalhas não mudaram os planos de Rebeca. Nem a rotina. No calendário, algumas competições programadas até o fim do ano, entre elas o Campeonato Mundial do Japão (de 18 a 24 de outubro, em Kitakyushu). Ela reforça que continua a mesma Rebeca, só que:

“Só que agora com muito mais gente sabendo quem eu sou”, brincou. “Sempre tive pessoas para me inspirar como a Dani, a Jade, a Daiane, agora eu também quero ser um espelho. Vou continuar a mesma pessoa, a mesma Rebeca, com os mesmos objetivos, meus planos não mudaram. Vou continuar treinando, quero tirar a minha carteira de motorista, pretendo fazer a minha faculdade de psicologia. Antes eu quero ficar uns dias com a minha família, descansar um pouco, estou morrendo de saudade deles”, finalizou.

Edição: Sérgio Botêlho

Da redação do Para Onde Ir, com informações do COB 

You may also like

Comente