Bem claramente, o povo quer vacina e passaporte vacinal

Sérgio Botêlho – Passaporte vacinal é desejo expresso de 81% da população brasileira; em descompasso com a Nação, governo sempre foi contrário

Ao mesmo tempo que crescem as preocupações gerais sobre os efeitos da variante Ômicron na saúde popular e na economia do país, seguimos nos certificando de que a população brasileira é resolutamente favorável à vacinação, o que é um alento.

Alento porque o governo federal continua investindo todas as suas forças para desmoralizar a imunização, um hábito que virou tradição entre as famílias brasileiras e que aparece exposta com todos os números na mais recente pesquisa Datafolha sobre o assunto.

De maneira efetiva, 81% dos brasileiros querem um maior empenho com a vacinação e, por isso, defendem a cobrança do passaporte de vacina para o ingresso em locais fechados como bares, restaurantes e órgãos públicos, entre outros.

Como é do mais amplo conhecimento, o governo e seus apoiadores, brandindo um suposto direito à liberdade, para serem contrários ao passaporte da vacina, erram propositadamente ao confundir liberdade pessoal com liberdade coletiva, o direito que uma pessoa tem de se infectar com o direito que os demais têm de se livrar da infecção. Afinal, são os infectados que têm o poder de produzir outros, cada vez em maior número.

Lamentável, mais uma vez, o que não é à toa, que o próprio ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tenha divulgado nesta segunda-feira, 17, que havia ‘comprovadamente’ 4.000 crianças mortas por conta da vacina, quando esse número não passa de 11.

Depois, Queiroga voltou atrás e admitiu o erro. Mas, ficou caracterizada a precipitação de um governo que vem se esforçando para desprestigiar a vacina, a despeito do que pensa a população brasileira, à frente as mães, após décadas de uso vitorioso de imunizantes.

Foi dessa maneira que o país ao longo da história de nossa saúde pública investiu de forma eficaz contra a varíola, contra o sarampo, contra a caxumba, contra a rubéola, contra a febre amarela, difteria, gripe, catapora, HPV e, agora, contra a Covid-19.

As campanhas de vacinação, no Brasil, evoluíram com o apoio cada vez mais determinado, e decisivo, da população, cujo engajamento nas campanhas em favor de vacinas impressiona o mundo inteiro, transformando o nosso sistema de imunização em um dos mais operativos do ponto de vista internacional.

Ainda bem que o povo brasileiro é assim com relação à saúde pública, um segmento da nossa realidade social que não é mais eficaz ainda por conta da falta de recursos públicos suficientes para a magnitude do trabalho que realiza e que, tanto do ponto de vista humanitário quanto econômico, é de vital importância.

Aliás, de tal importância que já provoca tremores entre os responsáveis pela economia mundial que temem atrasos no fornecimento de matérias-primas e a intensificação de dificuldades logísticas, por conta da contaminação de um número cada vez maior de trabalhadores, em todas as partes do mundo, conforme mostra O Globo, em manchete, na edição de hoje do jornal de circulação nacional.

O resultado de todo esse desaguisado sanitário e social é, naturalmente, a desorganização da economia mundial, gerando pânico por conta da escassez de produtos e pelo galope sem freios do processo inflacionário em todo o planeta. Com reflexos em maior grau de intensidade nas camadas mais pobres das populações globais.

Portanto, é salutar que a população brasileira se posicione tão grandiosamente a favor da vacina, em detrimento do que pensa o governo da Nação. Embora a gente não deva esquecer do mal que representa para a Pátria como um todo esse descompasso do que pensa o povo, assim, tão claramente favorável à vacina e à saúde pública, e o governo de plantão, que, infelizmente, detém o poder do investimento no setor e de mobilização em favor da saúde dos brasileiros.

O que nos faz pensar cada vez com maior dedicação e empenho no que representa o ano eleitoral que estamos vivendo. Médicos garantem vacina contra Covid em crianças Destaques da Economia na Grande Mídia CLIQUE AQUI DESTAQUES DA GRANDE MÍDIA IMPRESSA DE HOJE

You may also like

Comente