2 de março de 1996: morrem os originalíssimos Mamonas Assassinas

Forte comoção arrebata o país quando na noite de 2 de março de 1996 a mídia brasileira anuncia a morte dos músicos da banda Mamonas Assassinas

Sérgio Botêlho – Após menos de 2 anos de sucesso absoluto e de muita alegria espalhada pelo país afora, enfeitiçando crianças e adultos, com suas músicas altamente irreverentes e dizeres indecorosos expostos com sotaque marcadamente infantil, morreu, num desastre de avião, em 02 de março de 1996, todo o grupo Mamonas Assassinas, deixando o país em choque.

Suruba, já me passaram a mão na bunda, ainda não comi ninguém, eram termos ditos por eles e repetidos por pais e mães e filhos das mais variadas faixas de idade, mais ou menos a partir dos 5 anos, todos metidos numa plateia em êxtase sem que ninguém ficasse corado por isso. Tudo soava como uma enorme palhaçada.

Ódio dos Mamonas somente partiam de empedernidos e cínicos conservadores, como sempre, que, inclusive, chegaram a comemorar de alguma forma o infeliz acontecimento. Contudo, até hoje, suas músicas são repetidas e acompanhadas com emoção e muita alegria por quem soube enxergar neles iconoclastas do bem, e não do mal.

Saber que os ídolos máximos de nossas crianças – e que também, por isso, nos enchia de emoção – foi uma tristeza incomensurável. Milhares de pais e mães foram às lágrimas com a notícia do terrível acidente que vitimou os Mamonas, muito deles não querendo acreditar que a felicidade de seus filhos havia sido tão tragicamente atingida.

Breve histórico copiado da Wikipédia

Mamonas Assassinas, anteriormente chamada de Utopia, foi uma banda brasileira de rock cômico formada em Guarulhos em 1989. Seu som consistia numa mistura de pop rock com influências de gêneros populares, tais como sertanejo, brega, heavy metal, pagode romântico, forró, música mexicana e vira.

O único álbum de estúdio gravado pela banda Mamonas Assassinas, lançado em junho de 1995, vendeu mais de 1 milhão 800 mil cópias no Brasil, sendo certificado com disco de diamante comprovado pela Associação Brasileira dos Produtores de Discos (ABPD).

Com um sucesso “meteórico”, a carreira da banda durou um ano e meio, de outubro de 1994 a 2 de março de 1996, quando o grupo foi vítima de um acidente aéreo fatal sobre a Serra da Cantareira, causando grande comoção nacional. A banda continuou influenciando a cena musical nacional e sendo celebrada mesmo décadas após seu fim.

Mamonas, para sempre!

Vídeos:

Show em Valinhos – 1996 – Youtube

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.