Cachaças paraibanas são premiadas em concurso na Europa

Três cachaças paraibanas levaram medalha de ouro no Concours Mondial de Bruxelles, realizado em Bruxelas, na Bélgica, capital institucional da União Europeia

Três cachaças paraibanas levaram medalha de ouro no Concours Mondial de Bruxelles, realizado em Bruxelas, na Bélgica, capital institucional da União Europeia

O resultado foi divulgado esta semana e consagrou as cachaças Matuta Single Blend 3,5 anos, do Engenho Vaca Brava em Areia; Baraúna Carvalho Premium 4 anos, do Engenho Baraúna em Alhandra; e a Boa do Brejo, do Engenho São Pedro em Areia, como as melhores do mundo.

Para o deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro, esse é mais um resultado que coloca a Paraíba e a produção da cachaça em destaque no âmbito nacional. “Nosso estado tem grande potencial na produção de cachaça e devemos estimular cada vez mais essa vocação. Concursos como estes não só revelam a qualidade dos produtos que saem do nosso estado, como contribuem para o desenvolvimento e o fortalecimento do setor”, frisou.

O concurso foi realizado entre os dias 21 e 24 de outubro e foi composto por um júri com representantes de vários países, entre eles estava o brasileiro Maurício Maia. O Concours Mondial de Bruxelles é realizado há mais de duas décadas e tem se fortalecido como referência no mercado internacional. A cachaça Matuta Single Blend 3,5 anos levou ainda o prêmio de revelação entre as cachaças premiadas com a medalha de ouro, o engenho fica na cidade de Areia – município que foi reconhecido como capital paraibana da cachaça por meio da lei nº 11.879/21, de autoria de Eduardo Carneiro.

Atuação – Com o intuito de valorizar e reconhecer o trabalho desenvolvido por engenhos que atuam no mercado da cachaça de forma legal no Estado da Paraíba, o deputado estadual Eduardo Carneiro apresentou na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 2.631/2021, que estabelece parâmetros para fiscalização efetiva sobre engenhos e alambiques clandestinos. A propositura cria um Disque Denúncia de Produção Clandestina, atrelado à Secretaria de Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiáridos, que receberá as denuncias da produção irregular de cachaça e vai executar as fiscalizações e inspeções.

Também é de autoria de Eduardo a Lei nº 11.879/21, que deu ao município de Areia o título de ‘Capital Paraibana da Cachaça’. A legislação tem como objetivo aquecer o turismo e a economia local.

Edição do Para Onde Ir: Sérgio Botêlho, com informações da Assessoria do deputado Eduardo Carneiro

You may also like

Posted in Sem categoriaTagged

Comente