17 de fevereiro de 1600, a Inquisição queima vivo Giordano Bruno

Em 17 de fevereiro de 1600 morria, queimado vivo pela Inquisição Romana, o filósofo italiano Giordano Bruno, que preconizou a infinitude do universo

Em 17 de fevereiro de 1600 morria assassinado pela Inquisição Romana o filósofo, mas também teólogo e matemático, e ainda poeta e frade dominicano, Giordano Bruno, que ainda hoje inspira a resistência ao autoritarismo e à censura, no mundo inteiro.

Giordano Bruto, italiano nascido em Nola, no reino de Nápoles, em 1548, foi queimado vivo em fogueira armada em Campi de Fiori (Campo de Flores), na cidade de Roma, no dia 17 de fevereiro de 1600, após um julgamento que durou 8 anos e que terminou acusando-o de herege.

Entre os crimes arrolados pelos agentes da Santa Inquisição, a mando da Santa Sé, estava o de considerar que o universo era infinito, que a Terra não era o centro do universo e que, além do nosso sol, havia inúmeros outros com seus planetas ao redor.

Dessa forma, Giordano Bruno aventava a possibilidade de haver outros seres vivos em outros planetas do universo. Tudo o que a humanidade está cansada de saber, hoje, pela voz inequívoca da ciência.

Por conta da perseguição que lhe era dirigida em território italiano, Giordano Bruto peregrinou por vários países da Europa, entre eles França, Inglaterra e Alemanha, onde escreveu e ensinou sobre filosofia, também escrevendo poesias.

Nessa época, a imprensa estava cada vez mais presente na vida dos europeus, o que possibilitava a Giordano Bruno escrever a partir de seus estudos, inclusive explorando conceitos teológicos.

Dessa forma, Bruno acabou questionando a divindade de Jesus Cristo, e que Deus e o Espírito Santo eram as reais divindades, discordando do princípio da Divina Trindade, o que lhe valeu o ódio da Igreja Católica.

Enfim, residindo em Frankfurt, na Alemanha, foi ludibriado por um nobre veneziano, cuja cidade orgulhava-se de proteger seus moradores, para ir até Veneza ensinar memorização, quando é traído e preso pelos agentes da Inquisição.

Discordando até o último dia da ideia de renegar seus conceitos, apesar de dezenas de apelos de padres e religiosos, Giordano acabou executado, deixando para a posteridade suas verdades.

Dessa forma, Giordano Bruno é mártir da Igreja e da Ciência.

Destaques históricos e efemérides

E quem quiser saber mais sobre Giordano Bruno, acesse:

Giordano Bruno: biografia, frases, filosofia e morte – Toda Matéria (todamateria.com.br)

Giordano Bruno – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

 

You may also like

Comente