Expansão de pesquisas denota resiliência de cientistas brasileiros

Tem cientistas brasileiros, e mais: Bolsa e dólar, e Governo da Bahia alerta sobre aglomerações nas festas de São João

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

*ECONOMIA DO TURISMO*, Ano II, Nº 182 de 21.06.2021 

Expansão de pesquisas denota resiliência de cientistas brasileiros

De acordo com dados do Relatório de Ciências da Unesco que acaba de ser divulgado no Brasil, 80% dos países do mundo investem menos de 1% de seu Produto Interno Bruto (PIB) em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Apesar de ter ocorrido um aumento de 20% nos investimentos globais em ciência e tecnologia entre os anos de 2013 e 2018, há uma desigualdade demarcada pela excessiva concentração em alguns países. Desses 20%, 63% representam investimentos de China e Estados Unidos somados. 

Cientistas brasileiros II

O Brasil dispende cerca de 1,15% de seu PIB em P&D. Entre 2014 e 2018, período analisado no Relatório, o total aplicado em ciência diminuiu quase 16%, com queda de 50% no orçamento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI). No entanto, a resiliência de pesquisadores tem permitido que o número de trabalhos científicos e a contribuição mundial da ciência brasileira não decresça. Esses e outros dados foram apresentados no dia 11 de junho num webinar de lançamento do Relatório que nessa edição traz o tema “A corrida contra o tempo para um desenvolvimento mais inteligente”. .

Cientistas brasileiros III

Cerca de 70 autores de 52 países enumeram esforços mundiais em busca de novos paradigmas de desenvolvimento sustentável, como a busca de uma matriz energética mais limpa, e investimentos crescentes em Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI), em particular indústria 4.0, inteligência artificial e internet das coisas. O Brasil é um dos poucos países a ter um capítulo exclusivo, elaborado por Renato Pedrosa, docente aposentado do Instituto de Geociências da Unicamp que hoje coordena o Projeto de Indicadores em CTI da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e Hernan Chaimovich, professor emérito do Instituto de Química da USP e ex-presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Governo da Bahia alerta sobre aglomerações nas festas de São João

Neste sábado (19), em visita a Amargosa, uma das cidades-símbolo do São João da Bahia, o governador apelou à população para evitar aglomerações durante os festejos juninos. Rui esteve no município para entrega de obras e ressaltou a necessidade de reforçar as medidas de prevenção à disseminação do coronavírus. “Quero aqui fazer ao apelo não só ao povo de Amargosa, mas a toda à região e a todos baianos. Estamos insistindo nessa tecla, pela preocupação com o aumento dos casos de Covid-19. Não queremos impedir a tradição, mas precisamos nos cuidar agora e evitar o pior depois”, disse o governador.

Aglomerações no São João II

Rui destacou que a situação da pandemia poderia ser muito diferente no país se não fosse a lentidão da vacina. “Hoje, já era para 70% do povo brasileiro já estar vacinado. Infelizmente, o presidente não comprou vacina no ano passado, quando os laboratórios ofereceram. Como a CPI está mostrando, teve laboratório que ofereceu ao Brasil vacina pela metade do preço e mesmo assim o presidente não comprou”.. 

Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reabre nesta segunda-feira, 21

⏳ Destaques:

Leia: Destaques da Grande Mídia Impressa.

Notícias sobre Economia do Turismo

You may also like

Leave a Reply